terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O que é o Carnaval?


Portugal 2009

Engraçado. Este miúdo começou muito tímido no início.
Muito sério como se isto de posar para as fotografias, mesmo no Carnaval, tivesse sempre que ser uma coisa muito séria. Mascarado de Zorro. Mas e então... a máscara que não lhe assentava no nariz e lhe tapava a vista! E ainda para mais tinha uma espada que insistia em prender-se no cinto das calças... :P :)
Não sei como é que foi mas depois e numa fracção de segundos ganhou um à-vontade... tirou a máscara da cara e... ui! Ele posou, deu-me indicações, era de perto e depois de longe, e queria ver e queria tirar mais.... e, já não me largava!! :) Gostei mesmo de fotografá-lo!
Uma coisa que notei agora que vi todas as fotos. A partir do momento em que ele começou a sorrir, as fotos ganharam outra luz... e não foi nem do sol nem do flash... ;)
Para quem ainda não ouviu, se puderem oiçam... Only By the Night - Kings of Leon. Descobri este álbum recentemente e acho que é muito bom. Exige talvez o estar-se num determinado mood, que descobrirão qual é logo no primeiro acorde.
Fica aqui um excerto da letra de Reverly:
"What a night for a dance
You know I'm a dancing machine
With the fire in my bones
And the sweet taste of kerosene
I get lost in the night
So high don't wanna come down
To face the loss Of the good thing that I have found
In the dark of the night I can hear you callin' my name
With the hardest of hearts I still feel full of pain
So I drink and I smoke And I ask If you're ever around
Even though it was me Who drove us right in the ground
See the time we shared It was precious to me
But all the while I was dreamin' of revelry..."

Amigo


Portugal 2008 (Foto tirada pelo Zé J.)

Não dá mesmo vontade de apertá-lo? :)
Este cão era de um amigo meu, Zé. O Boris. Digo era porque ele já não o tem. Actualmente o animal está ao cuidado de outras pessoas e segundo últimas notícias "anda metido" :P em operações de resgate e salvamento.
E eu tive que pedir esta foto ao Zé e pedi-lhe também permissão para a colocar aqui. Porque queria partilhar isso convosco. Eu simplesmente adoro esta foto dele, acho-o lindíssimo, não me canso de olhar para aquele olhar meigo, e de sentir que mesmo não falando consegue tocar-nos e transmitir-nos tanta coisa.
Estes animais são mesmo especiais... :)

Artigo 37.º CRP



(Mina) Portugal - 2009
Quantas árvores não existem sem tronco nem raízes,
que mesmo se movendo permanecem no mesmo sítio de sempre,
o sítio onde nasceram e onde sabem que vão morrer.
Disse e repito: árvores.
Mas nós não somos plantas.
E à medida que o calendário burocraticamente define os limites do tempo, muitos assistem a tudo e sentem ou parecem não poder fazer nada.
Apenas assistem. Persistem. E não reagem.
Espero que não sejamos comparados a árvores nesse aspecto.
Que utilizemos a nossa mobilidade e capacidade de agir para pelo menos questionar certos e recentes tristes episódios em que alguns dizem a outros para se comportarem como árvores.
Que não falem nem se mexam.
Do que estou a falar?
Não sou partidária nem política, nem politóloga, nem socióloga... nem nada dessas coisas, mas vejo e oiço sobre o assunto. E tenho a minha opinião, como cidadã. E não me caiu muito bem ouvir falar em proibições de sátira em altura de Carnaval, em polícias que apreendem livros com a fotografia da nudez de uma mulher, em cenas infelizmente reiteradas de diz que não disse mas que afinal se fez, no culto do silêncio e da repressão se alguém estiver a ver o que alguém estiver a fazer mal, e se deixarmos isto passar em branco sem levantar cabelo, vamos começar a ver as árvores lá ao longe. Porque elas pelo menos permanecem no mesmo sitio e nós assim só recuamos!

Pray for me. Talk to me. Hear me. You.

Portugal - 2009
I hope he prays well for us.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

My boy

There he is, all dressed in black.
Skinny body, pale skin in wandering brown eyes.
Beautiful smile.
Walking straight to something we will never know exactly where to. Nor when to.
Sometimes singing. They both do it, and sometimes is the same song at the same time.
Talking to eachother as one is the other.
Such a connection. And such a shiver.
Pulling and pushing eachother as their story keeps being written.
And when they meet his brown eyes sparkle.
When they meet her body runs straight to him.
Here she is, no clothing.
Skinny body, very pale skin in say no color 'cause he knows her eyes.
As they talk as they sing as they touch as they kiss.
As they face eachother they figure.
There is no way out.

Ao som de


Badajoz - Espanha 2009

"... and i will try... to fix you."

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Dançamos

Enquanto dançamos,
não existe mais nada.
Nada mais existe,
senão o nosso dançar.
E se me olhas.
Não me olhes.
Porque mais ninguém nos vê.
E não me prende mais nada.
Nada mais me prende,
que a pausa no silêncio parado desse olhar.
Paramos, e olhamos.
De mãos dadas,
parados estamos.
E enquanto dançamos,
nada mais existe.
Não existe mais nada.
Dançamos assim, um no outro, e um para o outro.
Ao ritmo da melodia do nosso olhar.

Vazios Humanos


Évora - Portugal 2009

Sabem o que é um vazio humano?
E no outro sentido, no humano?

Despovoado.
Despido.
Desprotegido.
Desprendido.
Sem nada.

Um vazio.
Sem ti.