sábado, 30 de novembro de 2013

Hoje acordei a cantarolar isto:


Amália Rodrigues - Casa da Mariquinhas (Vou dar de beber à dor)

E já agora aqui fica uma outra da Amália que também gosto muito:


Amália Rodrigues - Barco Negro

Miau-história - update

Lembram-se da tal gatinha que eu e colegas andamos a alimentar e a cuidar? Ainda não conseguimos encontrar um dono para ela e quem sabe também para a mãe (que é super afável e amistosa... adoro aquela gata!), mas há evolução desde que a encontrámos. Aquilo que na altura parecia um rato de olhos esbugalhados, corpo atrofiado e inseguro, e focinho definhante... está a crescer, está mais gordinha, brinca, tem energia, e.... voilá! já se parece mais com aquilo que é: um gato! Continua muito arredia e esquiva. Já lhe consegui fazer umas festinhas mas por momentos muito breves. Aos poucos vai tolerando a nossa presença e talvez se vá apercebendo que estamos ali e vamos lá ter com ela e com a sua mãe para as ajudarmos. Tenho esperança que sim. E vocês já sabem.... se quiserem ou souberem de alguém que queira ficar com ela (e/ou com a mãe) e que a trate bem avisem ok?!

Constatações com modéstia à parte...


O meu Exmo. Sr. Gato Malandro está esta preciosidade! Não sei... talvez seja suspeita mas quem o viu e quem o vê! De gatinho abandonado, assustado e desnutrido, passados 2 anitos está aquilo que me parece ser o gato mais bonito do mundo!

De aproveitar ;)

Quem é que aí desse lado quer imagens lindíssimas e variadas para usar como wallpaper no computador e para o telemóvel?!

Faz favor de ir aqui e aqui, respectivamente.

Não se vão arrepender. ;)

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Black Friday

A sério... ao longo de todo este tempo continuo a ficar surpreendida (e também chocada) com as imagens que nos chegam todos os anos do famoso Black Friday (é um dia que, nos EUA, simboliza a abertura da época de compras natalícia,  e em que as lojas supostamente fazem descontos brutais...e por essa razão há milhares de pessoas que ficam malucas, doidas, alucinadas e vão acampar para a porta dessas lojas várias horas antes de abrirem para serem os primeiros a entrar e conseguirem as melhores promoções). Ora a diferença entre aquilo que acontece no momento de abertura das lojas e um tumulto revolucionário num país  africano de regime ditatorial é.... mínima. As pessoas atropelam-se, já houve mortes, e no geral as pessoas agem como bichos esfomeados em luta por sobreviver. Se for preciso andam à porrada para ver quem leva um par de sapatos desencontrados ou uma televisão com o ecrã rachado! Além disso a probabilidade de roubo e danos nas lojas deve ser gigante. E depois... muitas vezes analisam-se os descontos e vê-se que não são assim tão bons porque as lojas aumentam o preço do produto e depois aplicam-lhe um desconto super fixe e fantabolástico de, por exemplo, 80 % mas...(porque há sempre um mas!)... para o consumidor na realidade o desconto foi de 20-30%, o que bem feitas as contas possivelmente levaria muita gente a não entrar nesta onda perigosa e maluca e ficarem quietinhos, quentinhos e em segurança nas suas casas!

Não percebo se se trata de consumismo desenfreado ou se as pessoas estão mesmo numa tal situação de carência e pobreza que põem a própria vida em risco para conseguirem comprar merdas (desculpem mas tudo o que não seja comida e que não se trate de uma situação emergente ou de sobrevivência e que leve as pessoas a agirem como se disso se tratasse é ridicularmente merdoso....isto é... muito mal-cheiroso!!! ) tais como, roupas, acessórios, e tecnologia.

Eu tenho horror a lojas cheias de gente. Para mim são uma espécie de Apocalipse versão capitalista. Começo a sentir ondas de calor e de frio em simultâneo. Fico mal-disposta e doente. Se o cenário forem cabeças e mais cabeças a mexer em tudo e aos encontrões um busca da melhor promoção, e filas de duas horas para pagar....eu começo a dar uns passinhos em marcha a ré muito devagar e depois corro dali para fora o mais  rápido e longe possível! E atenção que gosto muito de promoções e saldos e feiras e afins... mas quanto me pagariam a mim para entrar numa daquelas lojas no black friday. Aquilo é a selva. É aterrador, terrificador e arrepiante. Tem que se estar muito desesperado... ou bêbado, ou medicado....ou alucinado. Ou....nem sei! É difícil de entender!

domingo, 24 de novembro de 2013

Fofuras... pois, mas "prognósticos só depois do jogo"! lol


Have yourself a happy week!

A minha....bem.... digamos que tanto pode ser muito boa como muito má. Eu bem que a queria prognosticar de excelente mas... A ver vamos... como dizia um certo sábio e ceguinho. Gostava de ir passear mas ainda não sei se vai dar.
O meu carro anda a dar sinal de uma avaria que ainda não se descobriu qual é. Espero, rezo, ajoelho se for preciso, para que não seja nada de grave...nem muito caro... Vá pessoal, toca a enviar boas energias para mim sff!!! :))
Tenham uma boa semana ;)

Leituras - "Em Parte Incerta"

de Gillian Flynn. 2012.


Esta estória... faz jus ao género em que foi inscrita. É de facto um thriller. Tem suspense, terror (maioritariamente psicológico) e causa emoções fortes. E sabem que mais? Ao mesmo tempo fala de coisas normalíssimas, coisas do dia-a-dia. Fala de relações entre casais, entre irmãos, entre pais e filhos e filhos e pais, entre amigos e entre cada um com quem quer que cruze o seu caminho. Fala sobre pessoas e sobre as relações entre as pessoas. Quer isto dizer que a realidade e aparente normalidade também têm terror? Sim. Este raciocínio alude àquela expressão "ninguém é normal". 

O conceito de normalidade a maior parte das vezes é a excepção e não a regra. Criam-se limites para o nosso comportamento e o que a sociedade espera de nós, mas a complexidade que se esconde dentro de cada um rebenta com essas correntes num ápice. O que acontece é que há pessoas que optam por se submeter e comportarem-se de acordo com aquilo que lhes ensinaram serem os padrões normais, e depois há outras cujo temperamento e personalidade não lhes permitem fazer isso e acabam por ser consideradas desviantes. Ou talvez há pessoas que conseguem adaptar-se melhor moldando o seu íntimo consoante precisam e depois há as outras que simplesmente se destacam, umas vezes para bem outras para mal. É o caso deste enredo. Mas a questão principal é pensarmos que nem sempre conhecemos as pessoas verdadeiramente. O que importa mais? Preferem ser mais felizes pensando que conhecem as pessoas que vos rodeiam ou a felicidade verdadeira só existe se se conhecer de verdade determinada pessoa e amá-la por isso. Podendo ela ser a maior psicopata do mundo. Talvez mais valha amar um assassino conhecendo-o totalmente do que amar uma pessoa aparentemente normal mas que não conhecemos na boa verdade. O que oculta pode ser muito mais perigoso do que o que se revela. 

Amar em ilusão, ou amar a verdade nua e crua?Pode não parecer mas é uma escolha difícil. 

A primeira opção parece mais fácil, há-de ter mais momentos bons do que maus, é-se (ou pensa-se que se é) mais feliz por períodos mais prolongados de tempo, no entanto haverá sempre a sensação de faltar qualquer coisa, um pequeno vazio. Aquele vazio que todas as coisas que não são totalmente reais e sinceras fazem a uma relação, começam por ser mínimas mas a rotina e o próprio tempo encarregam-se de deixá-las vir ao de cima. E assim aquilo que começa como a perfeição pode revelar-se o mais assustador e frustrante  dos caminhos.

A segunda opção é, à partida, mais difícil. Conhecer inteiramente o outro, todos os seus defeitos e virtudes, amá-lo e odiá-lo simultaneamente, é de certo um caminho de inícios muito tortuosos e difíceis. Não é fácil amar. Ponto final. Não é fácil amar de verdade alguém. Isso pode ser assustador. Mas também é desafiante. E talvez seja, passado algum (muito) tempo o mais compensador. Sinceramente não sei. Uma relação em que dois seres se conhecem totalmente um ao outro é com certeza mais forte e por isso mesmo mais difícil.

Bem... regressando ao livro. Ela desaparece. Ele é o principal suspeito. O próprio leitor é levado a pensar isso até metade da estória. Isto faz-nos pensar que por vezes aquilo que nos parecem indícios podem ser de facto apenas só isso, ainda que fortes. Mas afinal a vilã aqui é ela. Ela é manipuladora, super organizada, planeadora, fria, calculista, inteligente e completamente desequilibrada. Narcisista, egocêntrica e egoísta. Ela critica o facto de ser conhecida pela Incrível Amy mas na verdade, para além de adorar que a coloquem nesse patamar ela é na verdade a temível, a horrível Amy. Alguém que se acha superior aos demais, que se acha no direito de punir os outros e de achar que os outros têm de comportar-se como ela bem entende. Alguém capaz de matar e incutir sofrimento para "corrigir" as coisas. Uma sociopata nata. Um perigo ambulante capaz de destruir a vida dos outros. E para ela tudo isso é muito normal, e até justo. Por isso é que é psicopata, sociopata. Na cabeça dela, lendo os seus raciocínios quase que chegamos a entendê-la porque os argumentos que ela apresenta são realmente fortes. Mas ninguém sabe deste seu lado negro. Todos têm dela uma opinião muito boa. Ela é bonita, simpática, inteligente, jovial, interessante. Mas tem um lado negro gigante. A questão é que o marido, suspeito pelo homicídio e ocultação de cadáver da sua maravilhosa mulher, é o único que começa a perceber o que realmente aconteceu e de repente percebe que não conhece minimamente a pessoa com quem casou e com quem partilhou cama durante anos.  Mas será que alguma vez a quis mesmo conhecer? Será que alguma vez se mostrou de verdade e amaria de verdade também se soubesse que ela era assim...desequilibrada?! O amor tem questões destas. 
E o final é.... no mínimo inesperado e até um pouco perturbador. Fica a dica ;)

Frases ou ideias que registei desta estória:

"Almas gémeas. Eles próprios se denominam assim. Não têm arestas a limar entre si, nada de conflitos espinhosos, atravessam a vida como alforrecas siamesas - expandindo-se e contraindo-se instintivamente, enchendo os espaços uma da outra de forma fluída."

"As pessoas dizem que os filhos de lares desfeitos têm uma vida difícil, mas os filhos de casamentos de encantar também têm os seus desafios."

"Não é esse o objectivo de todos os relacionamentos? Sermos conhecidos e compreendidos por outra pessoa?"

"Ele é como uma bebida forte. Põe tudo na perspectiva correcta."

"O sono é como um gato. Só vem ter connosco se o ignorarmos."

"Era surreal. É isso que as pessoas dizem sempre quando querem descrever momentos simplesmente invulgares."

"Ela era demasiado independente, demasiado moderna para ser capaz de admitir a verdade: queria fazer de donzela".

"Sempre tiveste problemas com a verdade, arranjas sempre uma mentirinha, se pensas que isso pode evitar uma discussão a serio. Continuas a ansiar que toda a gente te julgue perfeito."

"Aos quarenta, um homem usa o rosto que ganhou."

"Da forma como algumas mulheres mudam de roupa, eu mudo de personalidade. Qual a personagem em que me sinto bem, qual é a mais desejada, qual é o último grito? Creio que a maioria das pessoas faz isto, só que não o admitem, ou então acomodam-se a uma personagem porque são demasiado preguiçosas ou estúpidas para desencadear uma mudança."

"A minha mulher é louca. Casei com uma cabra psicopata. Mas eu sentia uma pontinha de satisfação. Eu casei com uma cabra psicopata autentica e genuína."

"Amy gosta de fazer de Deus quando não está feliz. Deus do Antigo Testamento."

"Amy era brilhante e encantadora mas também controladora, tinha um transtorno obsessivo-compulsivo, era melodramática e uma grande mentirosa." "Livrou-se de mim porque eu sabia que ela não era perfeita."

"Os amigos vêm a maior parte dos defeitos uns dos outros. Os cônjuges vêm tudo, até ao mais ínfimo pormenor."

"Compreendo agora porque é que tantos filmes de terror usam este mecanismo - o bater à porta misterioso. É porque tem a carga de um pesadelo. Não sabemos o que está lá fora, mas sabemos que a iremos abrir. Pensam o mesmo do que eu: Ninguém realmente mau bate à porta!"

"Não diga reviver mas sim reinvestir. Fazer reviver significa que alguma coisa estava morta."

"agora sou eu que sinto o impulso irresistível de matar a minha mulher..."

"Ele diz que estou segura e sou amada, embora não me deixe ir embora, o que não me faz sentir lá muito segura e amada."

"Esta mulher conhecia-me em absoluto. Conhecia-me melhor do que qualquer outra pessoa no mundo.Todo este tempo, pensara que éramos uns estranhos, e afinal conheciamo-nos um ao outro de forma intuitiva, nos nossos ossos, no nosso sangue. Até era romântico. Catastroficamente romântico."

"A máxima mais fiável do sociopata: quanto maior a mentira, mais eles acreditam."

"Um amor como o nosso pode entrar em remissão, mas está sempre à espera de voltar. Como o cancro mais doce do mundo."

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Reitero que...

Caro São Pedro, pensava que já sabias isto de gingeira mas insistes em fazer orelhas moucas, ou isso ou fazes de propósito só para teres o prazer de me ouvires a ralhar. (Será?! Not!!) Já te disse mil vezes que.... DESTESTO FRIO!!! Capisce?!  E sei que isto ainda não é nada mas.... custa-me muito... 
Traz lá sol e calor.... vá lá, por favor.  :)) Ou isso ou mexe aí alguns cordelinhos e transfiram-me para um país tropical nesta altura do ano. É que isto do frio só me traz chatices.... ter de vestir muita roupa quando detesto andar cheia de trouxas em cima (bhlec!), andar contraída na rua e sempre à pressa, queimar de enregelados as mãos e o nariz, começar a lembrar-me que daí a nada chegam as frieiras outra vez e tudo o que isso implica, ter de ceder ao ar condicionado e ventiladores sendo que tento sempre evitá-los ao máximo, e depois esta temperatura para passear.... esquece, e ainda por cima queima-me as coisas todas na horta. Ora bolas.... assim vamos ter de nos chatear a sério! brrrrrrrrr!

Ora dá cá uma, ora dou-vos duas!

Mais duas músicas muito giras e novas (pelo menos para mim são!!lol).

Jonh Newman - Love me again

Lorde - Royals

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Faz de conta que sei do que falo!

Digam o que disserem... O Cristiano Ronaldo é realmente um excelente jogador. E não é um bom porque os outros sejam maus ou mais fracos, é mesmo porque efectivamente é o (e é) melhor. E isso ainda lhe eleva mais o nível. Aplauso para ele! Não obstante achá-lo um bocadinho convencido e vaidoso, considero-o um atleta super esforçado, dedicado e concentrado. E que se entrega de coração às coisas. O sucesso que tem é muito merecido. 

Ass. Alguém que não percebe muito de futebol (eu!!! pois não... nem ligo muito a isso) mas que percebe quando um gajo é bom. E o Cristiano Ronaldo não é só bom, é muito bom.Tenho dito.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Isto tem-me atormentado!

Qual a diferença entre psicopata e sociopata? 

Diz a Sô Dona Wikipedia o seguinte:

"Psicopata é designação para indivíduo portador de desordem de personalidade caracterizada em parte por comportamento anti-social recorrente, diminuição da capacidade de empatia ou remorso e baixo controlo comportamental ou, alternativamente, dominância desmedida.
Na Classificação Internacional de Doenças, este transtorno é chamado de Transtorno de Personalidade Dissocial. É um transtorno de personalidade caracterizado por um desprezo das obrigações sociais, falta de empatia para com os outros. Há um desvio considerável entre o comportamento e as normas sociais estabelecidas. O comportamento não é facilmente modificado pelas experiências adversas, inclusive pelas punições. Existe uma baixa tolerância à frustração e um baixo limiar de descarga da agressividade, inclusive da violência. Existe uma tendência a culpar os outros ou a fornecer racionalizações plausíveis para explicar um comportamento que leva o sujeito a entrar em conflito com a sociedade.

A psicopatia parece estar relacionada a algumas importantes disfunções cerebrais, sendo importante considerar que um só único factor não é totalmente esclarecedor para causar o distúrbio; parece haver uma junção de componentes. Embora alguns indivíduos com psicopatia mais branda não tenham tido um histórico traumático, o transtorno - principalmente nos casos mais graves, tais como sádicos e serial killers - parece estar associado à mistura de três principais factores: disfunções cerebrais/biológicas ou traumas neurológicos, predisposição genética e traumas sociopsicológicos na infância (ex, abuso emocional, sexual, físico, negligência, violência, conflitos e separação dos pais etc.). No entanto, nem toda a pessoa que sofreu algum tipo de abuso ou perda na infância tornar-se-a um psicopata sem ter uma certa influência genética ou distúrbio cerebral; assim como é inadmissível afirmar que todo indivíduo com pré disposição genética se tornará psicopata apenas por essa característica. Portanto, a junção dos três factores torna-se essencial; há de se considerar desde a genética, traumas psicológicos e disfunções no cérebro (especialmente no lobo frontal e sistema límbico).

De maneira geral, nos homens, o transtorno tende a ser mais evidente antes dos 15 anos de idade, e nas mulheres pode passar despercebido por muito tempo, principalmente porque as mulheres psicopatas parecem ser mais discretas e menos impulsivas que os homens 4 , e por se tratar de um transtorno de personalidade, o distúrbio tem eclosão evidente no final da adolescência ou começo da idade adulta, por volta dos 18 anos e geralmente acompanha por toda a vida.

Existem infinitas dúvidas referente às diferenças entre o termo "psicopatia" e "sociopatia". O facto é que, actualmente, ambos termos se referem ao indivíduo com transtorno de personalidade anti-social. Para alguns especialistas, como Robert Hare, a diferença entre a psicopatia e a sociopatia consiste basicamente na origem do transtorno. Assim como sociólogos, especialistas de crimes e alguns psicólogos acreditam que o distúrbio, quando originado a partir do próprio meio social, é denominado como sociopatia. Por exemplo, aquele indivíduo que "aprendeu" a cometer atitudes anti-sociais no próprio meio em que vivia, tal como um ambiente com baixo nível socioeconómico e pais violentos. Já o psicopata consiste na combinação de factores como biológicos, genéticos e sócio-ambiental. Por exemplo, o indivíduo que aparentemente "nasce" psicopata, independente de ter vivido num ambiente com baixo nível socioeconómico.
Para outros especialistas, a psicopatia e a sociopatia são duas manifestações diferentes do transtorno de personalidade anti-social. Tais raciocínios acreditam que os psicopatas nascem com características básicas como impulsividade e ausência de medo, o que faz com que busquem condutas de riscos e perigo, terminando muitas vezes em atitudes anti-sociais, uma vez que são incapazes de se estabelecerem correctamente nas normas sociais. Já o sociopata, nesta visão, apresenta um temperamento um pouco mais "normal" que os psicopatas.
Em suma, referente ao termo, essas duas variantes da personalidade antissocial tem como causa uma interação variada entre fatores genéticos/biológicos e fatores ambientais, mas a psicopatia tende para fatores genéticos, enquanto que a sociopatia, para o lado socioambiental."

Obrigadinha. Hoje já vou dormir mais descansada... ou talvez não!

Lá se vai a teoria sobre o equilíbrio natural das coisas


Ora eu que sou toda "a natureza equilibra tudo e a gente não deve contrariá-la" e "os mais fracos inevitavelmente morrem porque a espécie tem de aperfeiçoar-se" e blablablablabla... depois vejo um bichinho doente, magrinho, frágil e em apuros e derreto-me toda e se for preciso dou a volta ao mundo para tentar salvá-lo. 
Sim.... aquela coisa um bocadinho feinha e orelhuda é uma gatinha que nasceu num edifício perto de onde trabalho. A mãe é gata da rua, vadia mas muito afável e bonita (é tipo siamesa e tem uns olhos azuis lindíssimos!). Estavam desnutridos quando os encontrámos. Teve dois filhotes. Um amarelinho e este. O amarelinho era forte, enérgico e destemido. Na hora de comer muitas vezes assisti às brigas entre irmãos e claro... quem ganhava e comia era o amarelinho. Entretanto esse já tem dono, está a ser muito bem-cuidado na casa de uma pessoa que se apaixonou quis ficar com ele.. o que não admira porque realmente era lindo. Mas esta pretinha ninguém a quer... é feia, enfezada, raquitítica, esquelética, de olhos esbugalhados e parece-me que doente. Ainda não sei. Até pode ter sido de não se ter alimentado bem até aqui. Digo até aqui porque eu estou em missão!
Pela ordem natural das coisas, essa que eu tanto gosto de apregoar e a que tanto gosto de me agarrar, esta gatinha iria morrer por ser fraca, mas eu não vou deixar. Ou pelo menos vou tentar.
Não posso ficar com ela mas todos os dias de manhã e tarde lá vou para a missão de engorda... têm comido melhor que o meu gato em casa. Ele é paté para gatinhos e paté para adultos, água fresca e ração. E que bem que ela está a evoluir! Continua muito arredia e esquiva porque era a sua única arma de defesa, mas já está mais gordinha e agora é vê-la a apanhar sol, relaxada, de barriguinha cheia. Está mais confiante também. 
O que é que eu ganho com isto? Muita coisa. Principalmente a satisfação de pensar e de ver que aquele ser estava a morrer e agora está a brincar e a crescer, e está a ficar maior e cada vez mais bonita! :))))))
Às vezes gostava de saber o que é que os animais pensam...se é que pensam... porque esta bichana olha muito para mim, principalmente para os olhos e fica ali assim um bocadinho nisto... uhhhhhh! :))

Quando conseguir vou actualizando esta miau-história. :)

O que significa ser bem-sucedido?

O que é para vocês ser-se bem-sucedido? Não pensem muito. Registem a primeira ideia que vos vier à cabeça. Porque essa é a mais verdadeira para cada um de vós.

Uns hão-de pensar que ser bem-sucedido é ter sucesso profissional, dinheiro, talvez até fama, é ter beleza e muitos pretendentes, ou ganhar numa competição, outros hão-de pensar que ser bem-sucedido é ter uma casa, um carro, outros ainda pensarão que sucesso é ter amor, família e amigos, outros ainda acharão que é ter saúde! Há de tudo e para todos os gostos. Mas a verdade é que a resposta que dermos a esta pergunta significará a forma como fomos educados e a forma como orientamos a nossa vida, mostra quais são os nossos objectivos de verdade, uma vez que, de uma forma ou de outra, aquilo que procuramos sempre é sermos bem-sucedidos nalguma coisa.

Não podemos negar que por toda a parte está a mensagem inerente de que ter sucesso é ser-se "rico, bem-parecido e prestigiado". Mas trata-se de um objectivo vazio, muitas vezes vazio de valores, porque quer-se essa aparência, não olhando a meios para se chegar até lá, nem tampouco se é mesmo isso que nos faz felizes e nos dá um sorriso sincero. Tolera-se o roubo, a corrupção, a falta de carácter, a desonestidade, a falta de hombridade, falta de dignidade para se ser (ou parecer ser) bem-sucedido.
Valoriza-se a inteligência mas não a consciência. Já pensaram nisso? 

Para quem tem filhos esta questão é muito importante, porque aquilo que os pais lhes transmitirem sobre o que é o sucesso será a bússola dessas crianças/jovens/adultos. Pode-se estar a vaticinar para sempre o percurso de uma criança ao lhe transmitir-mos uma ideia errada sobre quais devem ser os seus objectivos de vida.

Os estímulos que actualmente temos são os dos meios de comunicação (que produzem chouriças em massa e para massas.... e não são de culinária!!), as marcas/grandes grupos económicos, os famosos (nas diferentes áreas), e um sem fim de luzinhas a piscar, ofuscando-nos uns aos outros e levando-nos a pensar todos de maneira igual. Qual rebanho ordeiro e submisso.

Eu acho que ser feliz é ser bem-sucedido (e não necessariamente o contrário). E ser feliz é conseguir-se ser criativo, original, humano, consciente, presente, orientado, sereno, é conseguir amar e ser amado, e simultaneamente é ser-se astuto e inteligente, saber gerir as emoções, ter auto-controlo, ter bons relacionamentos e ser-se respeitado. 

"Os pais não querem filhos com bom coração, querem filhos com boas notas" li num artigo. Com boas intenções, é óbvio, mas o nível de crítica e exigência pode deturpar a criança. E assim se criam pessoas que encaram a vida como uma competição em que se tem de ganhar a tudo, custe o que custar.

"Uma investigação mostra que as crianças que receberam amor e carinho dão adultos mais saudáveis mentalmente e mais capazes de amar." O amor. Essa coisa que a ideia assente de sucesso tem esquecida.

Como mudar?
Sendo-se suficientemente louco para sonhar e acreditar que se pode mudar, e assim, mudando. (com base numa célebre frase de Steve Jobs)

Sabem o que é que as empresas procuram cada vez mais?
"As competências mais valorizadas são capacidade de trabalho em equipa, capacidade de adaptação e aprendizagem, escuta activa, comunicação, empatia, automotivação, assertividade e resiliência." 
Sempre acreditei nisto, e ao longo do tempo tenho factos sobre isto também. As maiores notas na escola não são significado das melhores oportunidades a nível profissional. Não obstante o que aprendamos, a nível teórico e técnico, quando se chega à hora da verdade, no mundo do trabalho acreditem que importa tanto mais capacidade que tenhamos de nos relacionarmos, comunicarmos com os outros, a nossa postura perante as dificuldades, a nossa integridade e nível de profissionalismo porque todas estas características ditarão o desenrolar do trabalho e a sua permanência no tempo. Podemos ser uns génios numa dada área, uns craques, e isso é fantástico e valorizado pelos outros, mas apenas numa fase inicial. Se não houver capacidade de comunicação, se nós não formos capazes de perceber o que é os outros precisam e se não formos capazes de nos fazermos entender.... então esqueçam... não há transferência de conhecimento e portanto não haverá crescimento.  E a genialidade esfuma-se. Morre na praia como se costuma dizer!!

Há muitos profissionais que nitidamente não têm capacidade humana para exercer a sua profissão. Veja-se o caso dos médicos. O que importa para entrar para o curso de Medicina é ter uma nota altíssima, mas ninguém avalia a capacidade humana e o verdadeiro perfil daquele aspirante a "decisor sobre a saúde e bem-estar dos outros" (que é isso que um médico é) porque lá está... a sociedade não está moldada assim. E isso havia de mudar!

E agora perguntem-se outra vez? O que é que é ser bem-sucedido afinal?

domingo, 17 de novembro de 2013

Fofuras... este é infinitamente fofo :)


Este vídeo não é novo mas.... é tão fofo e tão especial que nunca é demais ver e rever. :))
Boa noite ;)

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

So what?!

Realmente a miúda deu uma volta de 180.º desde os tempos da Hannah Montana (que... eu gostava muito  e sim tenho o cd do filme!!!sim... qué-que foi?! Algum problema!?!?:))) e está a ser dura e fortemente (dá-lhe!!!lol) criticada por isso. Polémicas e show-off à parte acho que ela sabe muito bem o que está a fazer (embora, claro, tenha parvoíces mesmo grandes mas próprias da idade que tem!), e acho que, comercialmente e até artisticamente, está a ter impacto. E, em última análise, é isso que importa no mercado super saturado de música comercial. Fala-se dela. O mundo já espera para ver qual a sua próxima maluquice. E sabem que mais? Eu gosto imenso dela como artista.  E espero que não se perca... Gosto das músicas. Portanto no meu entender ela às vezes é um pouco exagerada (é certo...) mas acho que se ela se sente feliz e realizada a ser assim (polémica, sem pudores) e ainda por cima tem músicas mesmo giras então "pra frente, que atrás vem gente!". :P (sim....é com a língua de fora!!!) LOLOLOL


Love this song..... SO much!

Ouvia esta música passar na rádio e ficava sempre a cantarolar e a pensar "que música gira!". É que gosto mesmo muito! Hoje descobri de quem era. Nunca tinha ouvido falar, confesso, e também não fiquei propriamente a babar quando vi a imagem do senhor (é um bocadinho andrógino não acham?!). Desculpe-me Slimmy mas é a minha opinião! :P Já a música é..... LINDA! Adoro!


Slimmy - Um anjo como tu.


terça-feira, 12 de novembro de 2013

...e os nossos problemas não são nada comparados a isto...

Acabei de ver imagens da destruição causada pelo tufão Hayan nas Filipinas. Meu Deus... o cenário é... desolador :((( Uma mãe não conseguiu ajuda a tempo e o filho morreu-lhe nos braços. Famílias inteiras ficaram sem um tecto para viver e não têm o que comer. Centenas de corpos jazem nas ruas a par dos destroços.

Muita força para essa gente que, em condições normais já vive sem condições (!!), e ainda lhes acontece isto....



Quem fez isto? Levante a mão sff

Quem foi a burra (e-que-hoje-está-cheia-de-dores-e-desconforto-e portanto-está-um-caduxinho-assim-pro-grande-arrependida) que só para prevenir assentiu fazer duas pequenas cirurgias no mesmo dia em sítios diferentes do corpo? Quem foi, quem foi?!

Sim fui eu. :(

E feita parva achei que depois disso faria a vida completamente normal. Batatas para mim. Burra. Burra. Custa-me vestir, custa-me despir. Custa-me conduzir. Custa-me mexer raios!!

Já sei que quando passar esta sensação nem me vou lembrar disto e vou achar que fiz a melhor e mais acertada coisa do mundo.... mas bolas....isto afinal custa um bocado :S ou isso ou eu sou uma queixinhas, lingrinhas, escomichosa, ... sim também há grandes probabilidades disso. My fault again!

Estado de espírito hoje:



Ahhhhh adoro o grumpy cat....é tão...fofinho (?!!?)... Deixa-me ironicamente bem-disposta... Aqui vão mais umas deliciosas afirmações desta adorável criatura (tava aqui a pensar que talvez o possa vir a incluir na rubrica Fofuras.. :))))





segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Oh minha Nossa Senhora...

... que chocolate tão boooom pá!!! Tou fã! Alguém me explica esta relação de amor/ódio entre as mulheres e o chocolate?! Eu adoro chocolate negro. Mas ando a descobrir os Milka e têm-me estado a surpreender, pela positiva. No Verão foi a loucura com o Milka & Oreo e Milka & LU. E as bolachas com as vaquinhas.... essas eram muuuuuuu ita boas. Tava viciada. E agora caí na asneira de comprar este. Pronto... já foste!




PS: Esta foi a primeira tentativa de foto do pecado.... em que o Malandro resolveu passar para dar um "oi" :)))) 

domingo, 10 de novembro de 2013

M-e-a-b-y


What are you expecting for?!

Crianças romenas/ciganas que roubam


Muito de fala actualmente dos romenos/ciganos. Qual a vossa ideia sobre eles? O que pensam da vinda dessa gente para a vossa cidade, para o meio em que vivem? E quem são os culpados? Os adultos pelas crianças. E quem pelos adultos? A marginalização? Os genes? Ou talvez a culpa seja dos traficantes de pessoas e dos empresarios que se aproveitam da miséria em que as pessoas vivem e praticamente as escravizam.
Não sei o que explica a sua evidente tendência para o roubo e para o crime. Sei que, como quase toda a gente que já foi roubada ou conhece alguém maltratado por eles, não gosto lá muito... Penso que devem haver pessoas boas dentro da sua comunidade, mas a maior parte dedicam-se a fazer o mal. E é esta a minha opinião hoje acerca deles. Não gosto que venham para a minha terra. Também não gosto de saber que alguns vêem com promessas de trabalho e depois são explorados ou deixados ao abandono e isso faz-los recorrer ao crime para sobreviver. Mas no geral não consigo sentir muita empatia por eles. Não consigo mesmo. 

SAMSARA

Samsara é um termo budista alusivo ao movimento contínuo da existência, através de ciclos de nascimento/morte/renascimento em seis diferentes domínios da existência, em que cada domínio corresponde a determinado estado físico ou psicológico de sofrimento, ansiedade e frustração.

Vi este vídeo e senti náuseas. Há qualquer coisa de errado com a Humanidade. Já há tempo que acho isto. E acho também que a natureza mais cedo ou mais tarde vai acabar por resolver este problema. No caso da alimentação a nível mundial há um enorme desequilíbrio. Há povos super-nutridos e ao mesmo tempo que cada uma dessas pessoas "enfarda" (porque não consigo chamar-lhes outra coisa se não isso) mais um hambúrguer há uma criança a morrer de fome algures no planeta. Por outro lado, o desequilíbrio também se manifesta na forma como essa alimentação é alimentada (passo o pleonasmo). É feita à base do abuso dos outros animais e recursos existentes no planeta. Na natureza é mesmo assim... mata-se para sobreviver. Mas matar por matar, ou matar para alimentar gula (i.e. além da sobrevivência) é um crime hediondo e o qual iremos pagar caro mais tarde. Os efeitos já se começam a sentir. Obesidade, doenças cardio-vasculares. Crescente morbilidade e mortalidade por essas causas. A humanidade (povos desenvolvidos) está a morrer por alimentar-se demais e por fazê-lo à custa do sofrimento desnecessário de outros animais e recursos.
Não consigo entender essas pessoas sedentárias. Que quase não se mexem e não saem do mesmo sítio e continuam cheios de fome, como se o seu estômago não tivesse fim. Há algo de muito errado nisso. É contra-natura. Espero nunca vir a entendê-las nem a tornar-me assim. Fujo da preguiça e desse sedentarismo como o diabo foge da cruz. O meu instinto avisa-me que esse caminho é de perdição e que leva à morte sem ter vivido. Diz-me claramente para nunca ir por aí.


Fui pesquisar e encontrei o filme completo, que vos deixo aqui também. Samsara, 2011.


Fica-se em silêncio perante estas imagens e aquilo que nos fazem aperceber e pensar. 

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Palavras sábias


José Saramago, o escritor e a pessoa, era directo, cru, um bocadinho até agreste e muitas vezes inconveniente. E por isso mesmo é que eu gosto dele e do que dizia e escrevia. O que tem a dizer diz. E diz-lo de forma tão verdadeira que chega a doer, mas sempre nos acrescenta algo.

Fofuras... inesperadas!


Uma cadela com filhotes adoptou uma cria de chimpazé que tinha ficado recentemente sem mãe. Isto é muito bonito, lindo, especial or what?! :)))

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Piloto-automático

Linkin Park - Hands Held High

Adoro conduzir por estradas por que já tenha feito muitas vezes. Ligo o piloto-automático e abstraio-me completamente. Vou a conduzir, reajo à estrada e ao meio, mas vou também completamente abstraída (que é diferente de distraída!!) a pensar calmamente em tudo e mais alguma coisa, e muitas vezes em nada! Na última que fiz foi a ouvir uns sons que por lá andavam esquecidos. Linkin Park. Álbum Minutes to Midnight. Qual SPA qual quê... sentir a estrada a avançar, a condução fluída e sentir a música é das melhores terapias que podem haver. Para mim é. Sinto-me como se pudesse e estivesse mesmo a voar. ;)

Need to exorcize them?

Imagine Dragons - Demons

Escutississe... desculpe o que é que disse?! Privacidade.

Pensei começar este assunto fazendo um trocadilho entre a cooperação e companheirismo associada ao escutismo (escuteiros) e aquilo que os EUA têm andado a fazer em grande e em nome do bem-comum que toda a gente já percebeu de bem e comum não tem nada: escutar à grande e em grande escala!! Espiar. Vigiar. Basicamente jogar sujo, e baixo... Só por causa disso perco a vontade de fazer trocadilhos. Bem...
Não sei se sentem o mesmo mas eu sinto que o direito à privacidade é uma das coisas mais valiosas que podemos ter na vida. Sejamos uma pessoa, uma empresa, uma instituição, um país, uma nação, um continente.
A informação é um bem poderoso. E o acesso à informação é feito de forma cada vez facilitada, mais rápida (quase alucinante!) e por conseguinte mais perigosa. Mais facilitada rápida devido ao acelerado e contínuo desenvolvimento das tecnologias de comunicação, e perigosa porque está a mudar o mundo, e não é para melhor.
Hoje em dia acedemos facilmente a informação sobre tudo e mais alguma coisa. Isso por um lado é muito bom porque, supostamente, nos tornará mais conscientes e sabedores. Mas como tudo na vida tem um outro lado, obscuro e assustador. Vemos dados e informação e partilhamos (e essa partilha, esse "contacto" está a fazer-se de forma cada vez mais virtual....quiçá menos real?!). Partilhamos e damos a ver. E de cada vez que o fazemos estamos a abdicar de mais um bocadinho do nosso direito à privacidade. Pensem no caso das redes sociais. É um mundo que só quem não quiser é que não percebe os prós e os contras. Queres pertencer à comunidade e saber tudo de todos a toda a hora? Então passa para cá os teus dados também para os outros poderem fazer o mesmo contigo. Até me parece justo não?! 
Agora o que cada um partilha...não me venham com ladainhas...é da sua inteira responsabilidade. Outro dia, em conversa com alguém sobre este assunto e do que as pessoas partilham nas redes sociais e de como é fácil saber quase tudo da vida dos outros, disse-lhe a minha máxima de comportamento na internet ou qualquer outro meio de comunicação: não faças, não digas nem partilhes nada de que tenhas ou possas vir a ter algum tipo de pudor ou problema se o tivesses de fazer em frente a toda a gente. É certo e direitinho. Não tem nada que enganar. Não me venham com aquelas tretas das definições de privacidade do facebook e do não-sei-quantos que só os amigos podem ver... desenganem-se! Quem quiser e tiver pachorra para isso pode ter acesso a todas as conversas, informações, fotos e afins de que vocês participem ou façam upload. Portanto, se tiverem segredos, ou alguma coisa que não queiram partilhar com toda a gente... é fácil... não partilhem com ninguém! Há lá coisa mais garantida na manutenção de um segredo do mantê-lo isso mesmo: um segredo!!! ;)
Eu tenho facebook e essas coisas, e tenho blog mas sou muito cuidadosa e até obcecada com privacidade. Eu só mostro o que acho que devo mostrar, com razoabilidade e contenção. Pelo menos é isso que tento fazer.

As escutas que os EUA estão (já há tempo) a fazer aos líderes europeus só agora se estão a falar e a noticiar mas isto é só a ponta do icebergue no mundo em que actualmente vivemos: tudo o que fazemos, dizemos e somos é vigiado. Está de fácil acesso a quem tenha poder para isso. A Alemanha e a França estão possessos... e a ameaçar confrontar os EUA, gananciosos de poder. Espionagem sempre houve e sempre há-de haver mas é cada vez mais intolerável...e está a assumir proporções descontroladas. 


MUITO importante pensar sobre isto:
(com base em excertos extraídos da Revista do Expresso, Jun e Jul 2013) 

"Pedir para deixar para trás tudo o que é potencialmente intrusivo na nossa esfera privada é, para a maioria de nós, como voltar aos tempos das cavernas"

"Num mundo do pós-11 de Setembro, onde a fobia do terrorismo veio justificar e permitir quase tudo em prol da defesa da segurança, escacararam-se as possibilidades de sermos todos permanentemente vigiados."

Edward Snowden, conhecido por Verax, 29 anos, ex-agente da CIA, é considerado um inimigo no seu próprio País. Porquê?! Porque ele deixou para trás uma vida confortável no Hawai e um salário de 200 mil dólares anuais para denunciar o que a NSA anda a fazer através do PRISM - programa de vigilância em massa, de armazenamento irrestrito de todas as chamadas telefónicas feitas nos, de e para os EUA e dos registos de toda a gente no mundo com contas de Facebook, Gmail, Hotmail, YouTube, Skype etc.
Eles é que infringem os direitos dos outros e Edward Snowden é que é um traidor (acusado do crime de roubo de informação classificada e espionagem)... .... ....
Assim como Julian Assange, Aaron Swartz, Bradley Manning... todos eles whistleblowers considerados criminosos nos EUA por denunciarem informações secretas sobre vigilância e ataque directo ao direito aos dados pessoais e privacidade, entre outros. 
A ciberguerra está a acontecer neste preciso momento.
O PRISM é um apuramento do Echelon (programa secreto que os EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelandia puseream em funcionamento durante a Guerra Fria para interceptar comunicações).

"85% dos americanos assumiram, dias antes das revelações de Snowden, que a sua história de comunicação, chamadas, e-mails e uso de internet podia ser vista sem seu consentimento por indivíduos, grupos ou pelo Estado. Para essas pessoas, proteger contra o terrorismo é mais importante do que a sua privacidade"

"Desde sempre que os serviços de informação dos vários Estados fazem operações de vigilância em nome da segurança e interesse nacional. A forma como as conduzem é que separa os regimes democráticos dos totalitários."

Do FISA, ao CALEA, para o Patriot Act... "removeram-se obstáculos à investigação do terrorismo", "In God we trust, all olthers we monitor"... que é como quem diz: vamos monitorizar toda a gente, suspeitos ou não, porque todos são possíveis terroristas. E com esta atitude... quem é que vocês acham que são os verdadeiros terroristas?!

"Portugal assinou no inicio deste ano a Terrorist Watchlist. Um acordo em que qualquer pessoa pode ser considerada um potencial terrorista, sendo enviada para os EUA toda a informação que as autoridades detêm sobre esse eventual "suspeito".

"Grande parte da informação que está disponível para ser monitorizada é colocada voluntariamente online por todos nós". Pensem nisso.

"O conceito de amizade alargou-se. O conceito de esfera privada encolheu" (!!!!)

"Temos as nossas informações pessoais nas mãos de empresas norte-americanas (Facebook, Apple, Google, Microsoft, etc.) que se regem por uma legislação leve e permissiva em materia de privacidade. Todos os serviços de alojamento/armazenamento estão nos EUA, onde estão cópias-espelho de tudo o que se passa no mundo inteiro."

"O problema é que a NSA se concentra tanto em coleccionar dados e não em analisá-los."

Portugal foi o primeriro País do mundo a inscrever na Constituição (artigo 35.º) o dieito à protecção de dados pessoais. Sabiam?! ;)

"Na sua busca por um lugar seguro, Snowden parece ter desaparecido de vez. Mas apenas de forma física. No mundo virtual um hacktivista nunca está verdadeiramente no exílio."


E agora vendo o lado cómico da coisa... (se é que isto pode ter alguma piada... enfim...).... algumas imagens que andam por aí na net:



Life in a day

Nós somos mesmo pequeninos. A nossa vida, os nossos desejos, os nossos problemas são coisinhas ínfimas se considerarmos a quantidade de outras vidas e de outros desejos e de outros problemas que existem no mundo. Cada pessoa é um mundo, sempre concordei com isso. Mas concordo também que cada ser, cada pessoa é uma nano-molécula de um todo em que não se distinguem individualidades. De um todo forte, coeso, equilibrado, pujante e arrebatador.
A vida que nos foi "dada" é a que temos, no sítio em que nos encontramos, junto das pessoas que nos rodeiam. Mas o objectivo é o mesmo para toda a gente, quer viva na China ou nos EUA, quer seja pobre ou rico. Procuramos instintivamente sobreviver e consciente ou inconscientemente apreender e crescermos. Saber mais, sentir mais, ter mais, ir mais além são os únicos impulsos que nos fazem continuar a lutar dia após dia.

Às vezes não damos o devido valor ao que temos. Queremos viajar e conhecer outras culturas e povos como se algures no horizonte é que se encontrasse aquilo que procuramos....e muitas vezes nem sabemos bem o que é que procuramos afinal... Talvez fazer essa(s) viagem(s) seja mesmo importante... nem que seja para chegarmos à conclusão que a vida pode ter palcos e adereços diferentes mas desenrola-se, na sua essência, e ao longo de cada dia, de forma muito semelhante para todos. As necessidades básicas são iguais para toda a gente. 

O que para mim é interessante pensar é quando acordo e me levanto de manhã já milhares de outras pessoas o fizeram para começar o mesmo dia. Cada uma com a sua vida, os seus objectivos, as suas relações. Noutras paragens é certo. Noutra cama e noutras condições mas todos começamos mais um dia. Todos. Eu. Tu. Ele. Eles. Nós. 

Life in a Day, produzido por Ridley Scott, é um documentário fruto do envio de vídeos de milhares de pessoas de todo o mundo com as imagens de um dia na sua vida. Neste caso, no dia 24 de Julho de 2010. Desde o acordar até ao adormecer. Como cada gesto, cada acto, cada situação é vivida por milhares de pessoas ao mesmo tempo, nas mais variadas culturas e situações. Muito bom. Obriguem-se a ver mesmo que achem uma seca... porque vale mesmo a pena a sensação final.

"On July 24, 2010, thousands of people around the world uploaded videos of their lives to YouTube to take part in Life in a Day, a historic cinematic experiment to create a documentary film about a single day on earth." 


domingo, 3 de novembro de 2013

Sacudir o pó

Gosto deste tipo de músicas. Não sei... acho-as mais reais e verdadeiras do que muito do que se faz actualmente na indústria musical/entretenimento, e que também gosto mas de forma diferente... Os sons e composições mais recentes fazem grandes hits mas depressa passam e depressa nos cansamos deles. Porquê? Talvez porque haja demasiada oferta e nós simplesmente não consigamos absorver tudo. Talvez os sons sejam demasiado masterizados e artificiais. Mas estas não. Estas permanecem. Por isso é que sempre achei que pouco (mais simples) e bom é much much better do que muito e mau ou assim-assim.
Às vezes tenho mesmo necessidade de ouvi-las, como se precisasse urgentemente de algo que me recorde que as coisas são bem mais simples do que às vezes as faço parecer ser.
E os cantores negros da época são os meus preferidos.



(os Pearl Jam fizeram versão desta: ouvir aqui)



(este vídeo é um mimo :)))) Eu também quero dançar assim!!!)

Acordar assim


"My Girl" - The Temptations (1964)

Acordei assim. Assim meio confusa. Confusa e cansada de tanta coisa a correr-me pelo pensamento como listas intermináveis de tarefas a fazer e de decisões para tomar. Tomara não ter de entrar nisto às vezes. Às vezes fico especialmente difícil. E é difícil para mim nesses momentos ter de ser assim e não conseguir pensar correctamente. 
Há demasiadas nuvens a turvar-me a visão. Need some sunshine on my cloudy day.... please.