domingo, 14 de setembro de 2014

Votos de boa semana para todos


Sempre ouvi dizer que o sal conserva.... Conservem-se portanto... felizes de preferência!! ;)

Boa semana para todos.

sábado, 13 de setembro de 2014

Coincidências... ou não.


Como são as coisas...
Muitas vezes no caminho de casa via um gatinho preto com patas brancas muito parecido ao meu querido Malandro. Muitas vezes me ligaram amigos a dizer que tinham visto um gato assim-e-assim perto da minha casa, se não seria o meu. Eu saia a correr de onde estava numa aflição de ser o meu Malandro e ver se não lhe acontecia nada até eu chegar e encontrá-lo. Felizmente em nenhuma dessas vezes era ele. Era, isso sim, um gato muito (mas muito mesmo!) parecido a ele. 

Hoje, mais uma vez no caminho de casa... Lá estava ele. Mas não como das outras vezes, não estava a passear ou a esconder-se atrás de qualquer coisa. Estava deitado no meio da estrada. Tinha sido atropelado.
Quem me havia a mim de dizer que aquele animal que eu via tantas vezes e sempre me fazia sorrir pelas semelhanças com o meu e pelos telefonemas e aflições de falso-alarme que essas semelhanças originaram... estava agora ali. E ali estava eu, com ele.
Tinha a cabeça parcialmente desfeita. Um poça enorme de sangue à sua volta. E sabem que mais? Vim a saber que já estava ali há mais de duas horas. E... estava vivo.... Imóvel... mas a respirar, a mexer o rabo e a gemer.

Não sei quem é que é capaz de atropelar ou ver um animal neste estado e... passar como se nada fosse, não fazer nada e simplesmente abalar dali a correr antes que alguém veja. Não obstante de não ser uma pessoa, é um ser vivo, de sangue quente até, e que sente, e que naquele momento está num imenso sofrimento. Eu quis matá-lo para ajudá-lo a partir mas não fui capaz.

Contactei uma pessoa que sei gostar muito de animais. Mas não um gostar de apenas sorrir e fazer festinhas. Este rapaz foi ao local, levou coisas da casa dele, e pegou no gato ensanguentado. Levámo-lo então para a clínica veterinária onde foi eutanasiado. A médica veterinária estava pasmada em como é que aquele animal ainda estava vivo estando naquele estado deplorável. Metia dó.... :(

Quem me diria a mim que seria eu que ia levar o quasi-gémeo do meu Malandro para o seu descanso final. 

Cheguei a casa e chorei.
Pelas imagens chocantes que vi, pelo que senti, pelo medo de alguma vez acontecer isto a algum dos meus gatos e não haver ninguém que os ajude, e também por ter percebido in loco a frieza e o desapego das pessoas para com uma situação destas. De um animal estar a definhar, a implorar por ajuda, e passarem por ele, ou nem se aproximarem e não fazerem nada. 
Ele já descansou.  A minha cabeça é que não... pensando nisto tudo... 

Boa noite.
Descansem.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Não gosto nada... Adoro! :)

U2 (In A Little While)

In a little while
Surely you'll be mine
In a little while I'll be there

In a little while
This hurt will hurt no more
I'll be home, love

When the night takes a deep breath
And the daylight has no end
If I crawl, if I come crawling home
Will you be there

In a little while
I won't be blown by every breeze
Friday night running
To Sunday on my knees

That girl, that girl
She's mine
And I've known her since

Since she was a little girl
With Spanish eyes
Oh, when I saw her
In a pram they pushed her by

My, how you've grown
Well it's been
It's been a little while

Slow down my bleeding heart
A man dreams one day to fly
A man takes a rocketship into the skies
He lives on star that's dying in the night
And follows in the trail
The scatter of light

Turn it on
Turn it on
You turn me on

Slow down my bleeding heart
Slowly, slowly love
Slow down my bleeding heart
Slowly, slowly love
Slow down my beating heart
Slowly, slowly love

Belíssima música e letra. Não acham?!

Musiquita muuuito boooooa!!

:)  excusam de agradecer... só precisam fechar esses olhinhos e aproveitar!! (como eu faço!) :D

Lilly Wood & The Prick and Robin Schulz - Prayer In C (Robin Schulz Remix) (Official)

Sam Smith - Stay With Me (Live) ft. Mary J. Blige


Sia - Chandelier 

Lorde - Pure Heroine 

MAGIC! - Rude

American Authors - Best Day Of My Life

Ella Henderson - Ghost

(adoro esta última miúda já desde a primeira audição que fez para no The X Factor em 2012 que é esta:)


é arrepiante ou não?!?! :))) muito muito boa!

Enjoy!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

District 9


Muitas vezes as coisas não são mesmo o que parecem. District 9 parecia ser um filmezinho, tive quase a desistir de vê-lo logo nos primeiros 10 minutos e eis que bang!... acabei por gostar muito. Imaginem que milhões de alienígenas vinham parar à Terra e não conseguiam voltar para o seu planeta. Imaginem que esses alienígenas eram muito diferentes dos humanos no aspecto exterior e nos seus modos de vida, mas que no essencial eram iguais... tinham famílias,  viviam em sociedade, tinham as mesmas necessidades básicas e afectivas, e tinham sentimento. Aí tudo muda de figura. Se o nosso primeiro instinto é exterminar qualquer espécie estranha que represente uma ameaça para nós, o facto deles em muito se assemelharem a nós deixa-nos hesitantes. Porque é como se o estivéssemos a fazer a nós próprios e mais facilmente nos colocamos na sua pele.

Imaginem também que esses alienígenas viviam à margem... em favelas. Com toda a violência, corrupção, pobreza e caos que isso implica. E que os humanos começassem a perceber que tinham de controlar a situação. Para além de todas as experiências que achavam que deviam fazer a esta espécie estranha.

Aqui os alienígenas podiam simplesmente ser trocados por outros quaisquer que vivam à margem da nossa sociedade. O modo de actuação não foi diferente, nem de um lado, nem de outro.

Um filme interessante sobre as diferenças, o que é que realmente constitui uma ameaça para nós, quem são uns para controlar outros, as experiências de Biotecnologia, o poder governamental e os interesses pessoais e frios dos poderosos.

E afinal a esperança dos rejeitados - os alienígenas - foi um humano.

Além disso, a música do filme é fantástica: :)

What if... Sometimes...


Doing it means quitting it...?!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Fofuras... Bom fim-de-semana!!


Yey!! Cá está ele! Time to enjoy!! Em casa, na praia, no campo, a fazer x ou y, sozinhos ou acompanhados... não interessa! Divirtam-se e aproveitem a bênção que é a vida!

Tenham um excelente fim-de-semana!

Beijinhos a todos!! 

O Poder da Música...

Tão simples e maravilhoso quanto isto:


Mood for this afternoon ;))

Walk on the Wild Side - Lou Reed 


Tears for Fears - Shout (live)

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Para rir um bocado... :D

Anedotas de Escritórios

DE EMPREGADO PARA EMPREGADO:
- Soubeste que faleceu o chefe?
- Sim, mas queria saber quem faleceu com ele.
- Por que é que tu perguntas?
- Não leste o anúncio posto pela empresa?
Dizia: "...e com ele foi-se um grande trabalhador...!

DE CHEFE PARA EMPREGADO
- Este é o quarto dia que você chega tarde esta semana.
Que conclusão tira disso?
- Que hoje é quinta-feira...

DE EMPRESÁRIO PARA EMPRESÁRIO:
- Como consegues que os teus empregados cheguem pontuais ao trabalho?
- Simples, tenho 30 empregados, mas só 20 estacionamentos....

EMPREGADO:
Enquanto o meu chefe finge que me paga um bom salário, eu finjo que trabalho muito.

DO CHEFE PARA A SECRETÁRIA:
- Quem te disse que podes passar o dia a dar voltas sem trabalhar, só porque tivemos uma relação?
- O meu advogado...

DO CHEFE DO PESSOAL AO ASPIRANTE:
- Aqui procuramos um empregado que não negue nenhum tipo de trabalho duro e que nunca fique doente.
- OK, vou ajuda-lo a procurar um !

CHEFE:
- António, já sei que o seu salário não é suficiente para se casar, mas algum dia ainda me vai agradecer.

DO EMPREGADO PARA O CHEFE:
- Chefe, posso sair duas horas antes?
A minha mulher quer que eu a acompanhe a fazer compras.
- De nenhuma maneira !
- Obrigado chefe, eu sabia que podia contar consigo !

UMA VEZ NUMA INSPECÇÃO
Dois inspectores fiscais chegam a uma casa e perguntam:
- O seu nome?
- Adão.
- A sua esposa?
- Eva.
- Incrível !
Por acaso a serpente também vive aqui ?
- Sim, um momento.
Sogra, estão à sua procura !

:D:D:D:D:D:D:D:D:D:D..... :D:D:D:D:D:D:D

Músicas e letras inspiradoras!

John Legend - Ordinary People (Live on Letterman)

John Legend - You & I (Nobody In The World)( LIVE from Citi ThankYou)

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Quanto ao vestido de noiva da Angelina Jolie... Jolie-Pitt wedding time!!

Só tenho a dizer que adorei! Simplicidade e simbolismo são as palavras que melhor o descrevem. Um vestido muito despretensioso e um véu repleto de desenhos feitos pelos filhos do casal. Achei uma ideia lindíssima, especial e carregada de significado. :)



Um dos melhores (e mais directos) textos que li sobre ter animais!

Dei por acaso com estas palavras que se seguem. E à medida que as ia lendo... só pensava... "é mesmo isto"... não encontraria melhor definição sobre o que é passar a ter um animal de estimação. E tê-lo e estimá-lo de verdade! Pode não ser completamente fácil mas o amor que se recebe e a companhia que eles nos fazem em todos (TODOS!) os momentos não são mensuráveis... E depois, quanto à questão do abandono, tenho exactamente a mesma opinião!!


"No dia que decides ter um cão, a tua vida, como a conheces, acabou. Independentemente do tamanho do pêlo, ele irá espalhar-se, espetar-se, agarrar-se à tua roupa, aos sofás, aos tapetes. A chegada a casa nunca mais será a mesma, pois entrarás em casa dobrada, para evitar que o cão fuja, enquanto te preparas psicologicamente para os dois minutos (parecem vinte, mas são só dois) de pura histeria em que um animal de quarenta quilos (que devia ter só trinta e dois) salta à tua volta, para cima de ti, ladra, chora e faz outros sons imperceptíveis. Cena que se repete se pegares na trela. Ainda que seja para mudá-la de sítio. Nunca mais poderás comer frango assado sem teres uma cabeça a entrar-te pelo braço (nem poderás comer maçã sem assistir a uma cena de diva). Às vezes não vais poder ir de fim-de-semana porque não tens dogsitter nem hotel. E terás de pensar melhor, se quiseres mesmo um jardim daqueles bonitos e arranjados. Terás de comprar ração que custa os olhos da cara. E gastar dinheiro (bastante) no veterinário. E mandar colocar uma cancela nas escadas que vão para o quarto. 
Também pode não ser assim. Podes ter um cão só no exterior da casa, dar-lhe restos, e educá-lo militarmente para que não te ladre, não te salte, nem te pedinche comida. Podes ter um amigo ou um vizinho que te tome conta do cão nas férias ou no fim-de-semana. A tua vida pode mudar menos. Mas muda. Tudo o que se "perde" por ter um cão não pesa um alfinete, comparado com o que se ganha. Mas não é das vantagens de se ter um cão que eu quero falar hoje. É das desvantagens. Puras e duras. A somar ao que escrevi acima, ainda há móveis e sapatos roídos, fugas por causa de trovoada ou foguetes, portas raspadas e corridas para o veterinário porque o cão comeu algo que não devia. Os cães vomitam sempre no tapete. Sempre. E nem sempre fazem xixi e cocó onde deviam. Ter um cão não é para todos. Não se é melhor pessoa por se ter um cão. É-se, certamente, melhor pessoa por se pensar que um cão é tudo isto antes de se comprar/ adoptar um. Porque é uma decisão para a vida. Ninguém é má pessoa por não gostar de cães, por não ter cães, por não salvar cães. Mas é-o por abandonar um."

E é isto!! É mesmo isto! Ganda texto!

... and so words can actually help us change our perspective on life...

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A Justiça protege-nos ou ameaça-nos?

Ou por outras palavras... A Justiça serve as pessoas ou as pessoas é que servem a Justiça?

É óbvio que a lei, criada ela própria por pessoas, existe acima de tudo para proporcionar às pessoas (àquelas e às demais) uma sensação de segurança e de... justiça! Nós, pessoas (!!), precisamos disso para viver, e assim vivendo num estado organizado e desenvolvido, precisamos também que existam organismos e meios capazes de regular a actividade da comunidade e de cada pessoa em particular, no sentido de assegurar que todos possamos viver "bem" e em relativa paz uns com os outros. Este viver "bem" significa sentir segurança, ter acesso a cuidados de saúde, ter acesso à educação, ser protegido de ameaças ou agressões de qualquer género, ter as mesmas oportunidades que os nossos semelhantes e sermos respeitados. O que é que a lei exige em troca? Se queremos "gozar" dessa sensação de segurança que a Justiça e as leis nos oferecem, temos "apenas" de respeitar e cumprir essas mesmas leis. Nada muito complicado, à partida. Temos apenas de respeitar os outros e a nós próprios, fazer-mos o bem e contribuir-mos, cada um à sua maneira, para uma sociedade melhor. Onde as pessoas sintam harmonia e felicidade. Esse devia ser o principal objectivo.

Como todas as coisas criadas pelo Homem, a Justiça e as leis também têm falhas. Umas por lacuna, outras por desadequação ou má interpretação e consequente má aplicação...

Já há anos coloquei esta mesma questão no caso daquela menina portuguesa - a Safira - cujos pais decidiram ir contra os médicos do IPO e contra a própria Segurança Social e, qual foragidos, levaram a sua filha para fora do país para fazer outro tipo de tratamentos que não a quimioterapia. Foram considerados negligentes por não estarem a zelar pela vida e bem-estar da sua própria filha e, à revelia da Justiça (qual Justiça?!) fugiram, lutaram e conseguiram que a filha tivesse acesso ao tratamento que eles consideraram o mais adequado. Este episódio levantou uma onda de prostesto e simultaneamente de solidariedade em Portugal. Uma coisa é certa... levantou a importantíssima questão sobre o tratamento de menores em Portugal. Até onde vai o direito dos pais (como tutores e representantes do menor) se contraposto com o direito à vida e à saúde do próprio menor.
Há casos e casos. E estes pais sofreram duplamente, de forma desnecessária. Sofreram portanto não apenas pela doença da sua filha, a ameaça de perdê-la e vê-la morrer, mas ainda por terem de lutar contra toda uma maré de médicos, assistentes sociais e a própria lei... que não lhes permitia fazer aquilo que o seu instinto natural lhes dizia ser o melhor para a sua filha.Repito... para a SUA filha.
A Safira recuperou quase milagrosamente e isso veio reforçar o debate sobre os direitos dos pais e progenitores face àquilo que actualmente é considerado como "normal" ou aceitável na nossa sociedade. Aqueles pais não tinham culpa que em Portugal ainda só se recorra à quimioterapia no tratamento (não é bem tratar... é mais matar...mas isso é outra conversa...) contra o cancro. Aqueles pais foram discriminados e julgados pela sua própria comunidade por saberem e quererem mais e diferente. Qual Galileu Galilei... julgado por ter defendido que a terra girava em torno do sol... numa altura (século XVII) em que os dogmas religiosos e a teoria do geocentrismo eram tidos como a verdade absoluta. Afinal ele tinha razão.
Ainda assim, no caso da Safira, também não condeno os médicos. Considero que não procederam mal. Fizeram o seu papel, mediante as técnicas e tratamentos disponíveis no país

Agora outra vez se coloca a mesma questão. Um casal britânico "raptou" o seu próprio filho de um hospital britânico e tencionavam chegar à Républica Checa, mas foram apanhados em Espanha (pelas autoridades espanholas avisadas pela Interpol). Este casal não concorda com o tratamento que está a ser aplicado ao menino e querem procurar outras alternativas. O filho, Ashya King, de 5 anos, tem um tumor cerebral.




Como saber o que é de facto o melhor para uma criança neste tipo de casos? E como respeitar o direito dos pais e não ameaçar os direitos fundamentais da própria criança? 

Isto dá-me muito que pensar. E preocupa-me que a Justiça não proteja estes pais e estas crianças. Que não só não os proteja como ainda se lhes afigure como a principal ameaça!!
Espero/Ambiciono que a Justiça encontre futuramente forma de identificar, com o mínimo erro possível, os casos em que os pais estejam de facto a fazer pelo bem da criança. E acontecendo o que acontecer, sejam protegidos e tenham a vida facilitada (ou pelo menos que não lhes seja complicada!) no sentido de tentarem dar ao seu filho aquilo que consideram melhor. Afinal de contas... o filho é deles...