sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Bom fim-de-semana


Bom fim-de-semana a todos.

Beijinhos

Leituras - "As noites das mil e uma noites"

de Naguib Mahfouz. 1981.



Naguib Mahfouz é o único escritor árabe galardoado com o Prémio Nobel da Literatura (em 1988). Confesso que comecei a lei este livro por engano. Achei que finalmente (mas ainda não foi desta!) ia ler os famosos contos da Xerazade ao seu sultão Shariar, mas este livro começa precisamente no dia seguinte à última história contada.  A verdade é que essas histórias tiveram um efeito directo no coração do sultão, que passou de um homem frio e sangrento, a um homem carregado de sensibilidade e contemplação, vergado pelo arrependimento, em busca de um sentido da vida e da verdade das coisas.
A história passa-se numa cidade medieval islâmica. Os acontecimentos, as relações entre as pessoas e o desenrolar do dia-a-dia são controlados pelas hierarquias, pelo medo e pela coragem, pela luta interna entre o que se é e o que se deve ser, e claro... acima de tudo pela religião.
Fica-se com uma ideia bastante clara de como decorria a vida numa sociedade deste tipo. Os valores que regem as pessoas, a forma como lidam entre si e o que parecem procurar na vida. Talvez ainda hoje seja exactamente assim que a vida decorre em territórios muçulmanos.
Percebe-se no crente/não crente uma luta interna muito grande. Como se aquilo a que se agarra como salvação fosse aquilo que simultaneamente o oprime e reprime. Muitas vezes levando-o exactamente ao extremo oposto daquele que almeja.
Põe a nu as fragilidades humanas. O quão mau e quão bom um mesmo homem pode ser. Os medos, as inseguranças, a falta de fé, a ambição desmedida, a inveja, a opulência, a cobiça, a corrupção, a ganância, o despotismo, a injustiça, a violência, a perturbação e a confusão mental e espiritual, a falta de perseverança... E no meio disso tudo tenta encontrar-se um caminho... através de Deus, que dê sentido a todas as alegrias e a todas as aparentes tristezas.


“… pelo facto de um homem poder morrer sem deixar de viver ou poder viver estando morto.”


“… o mundo da piedade aparente e corrupção latente.”

“Conheci três tipos de discípulos. As pessoas que aprendem os princípios e se esforçam no mundo, as pessoas que aprofundam o conhecimento e dominam as coisas, e gente que persevera no caminho recto até à estação espiritual do amor...”

“… em breve as exigências da vida se impuseram aos acontecimentos da História…”

“O caminho de Deus era claro e não devia misturar-se com sentimentos de ódio ou de orgulho, porque a base da estrutura se desmoronaria.”

«O melhor favor é o que se faz o mais depressa possível.»

“Gostava da comida e da bebida da mesma forma que gostava da mulher, e com a passagem do tempo já gostava mais da comida e da bebida.”

“… debatia-se na cela da sua permanente aflição.”

“O medo é o tributo dos culpados, não dos inocentes.”

“… como um adolescente… ficou absorto em sonhos de raparigas virgens.”

“Não era Deus capaz de tudo?”

“… alaúde…”

“A oportunidade era única, nunca mais voltaria a acontecer, e tudo acontece como Deus quer.”

“Todos saímos da costela de Adão…”

“… Expiaria os seus pecados através da peregrinação, da esmola e do arrependimento.”

“ Refugio-me em Deus da violência da beleza quando ela domina.”

“Nada destrói mais um homem do que ele próprio… E ninguém o pode salvar senão ele a si próprio.”

“A depravação é um pecado secreto, que se comete enquanto nos ocupamos a perseguir os xiitas e os carijitas.”

“…foi julgado e decapitado…”

“Era uma tentação só para os sãos, não para os loucos.”

“Vejo-os com os corações cheios de vergonha depois de terem experimentado a debilidade humana.”

“… oração da manhã… oração da tarde… oração da noite”

“Verdadeiramente somos de Deus e a Ele voltamos.”

“O dever antes da compaixão…”

“Estás em mãos seguras, podes sorrir.”

Sultão, vizir, xeque, mestre, governador, secretário particular, chefe da polícia.

A lei islâmica. Os muçulmanos.

Sufismo.

«A corrupção dos homens doutos realiza-se através da negligência, a corrupção dos príncipes através da injustiça e a dos sufis através da hipocrisia.»

“Gostaria de te ver como um dos soldados de Deus, não como um dos seus dervixes… A lógica da fé é perdurável e eterna. O Caminho a princípio é um, depois divide-se inevitavelmente em dois. Um deles leva ao amor e à submissão do eu e o outro à guerra santa. Os primeiros dedicam-se a si mesmos, em compensação os da guerra santa consagram-se ao serviço de Deus.”

“… esperava sair da sua confusão para a espada da guerra santa ou para o amor divino.”

…” talvez seja o haxixe…”

“Deus tem a sua Sabedoria própria na Sua Criação. Quanto a nós, temos a lei islâmica.”

“Não faça o que lhe ditar a consciência mas também não cometa más acções… Há muitas coisas que não são boas nem más.”

“… enquanto a brisa primaveril levava à profundidade do seu ser uma mistura de perfumes de flores sob um céu brilhante de estrelas.”

“É em Deus que procuramos ajuda”

“… enquanto há vida não há razão para o desespero…”

"... não alcançarás o grau de devoto senão quando superares seis obstáculos. O primeiro e fechar a porta da comodidade a abrir a da dureza. O segundo consiste em fechar a porta da fama e abrir a da insignificância. O terceiro, fechar a porta do descanso e abrir a do esforço. O quarto exigir-te-á fechar a porta do sono e abrir a da vigília. O quinto, fechar a porta da riqueza e abrir a da pobreza, e o sexto obstáculo é fechar a porta da esperança e abrir a da preparação para a morte."

«Uma prova do receio da verdade é que não facilita a ninguém um caminho até ela nem priva ninguém da esperança de a alcançar. Deixa as pessoas a cavalgarem pelos desertos da perplexidade e a afogarem-se nos mares da dúvida. Quem acredita que a alcançou é porque se separou dela, e quem acredita que se separou dela foi porque perdeu o seu caminho. Não se pode chegar a ela sem fugir dela, é ineludível.»

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Bom fim-de-semana!


Bom fim-de-semana a todos!

Beijinhos

Sei-te... sabendo-o.


Escrevo-te, sobre a pele, sabendo que não lês
Digo-te, sussurrando, sabendo que não ouves
Toco-te, sem tocar, sabendo que não sentes

Escuto-te, sem te ouvir, não sabendo tu o quanto assim me falas e me dizes
Sinto-te, sem te ter por perto, não sabendo tu o quanto estás presente e te fazes sentir
Vejo-te, sem te olhar, não sabendo tu que estás sempre comigo e eu estou contigo

Nesse iminente e profundo silêncio
Rimos. Copiosa e ruidosamente
E dançamos
Um com o outro
Um para o outro
Um no outro

Sei-te, sem o saberes.
Sabes-me, sabendo-o.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

A bola de cristal dos... Simpsons!

Sempre adorei Simpsons. Ainda hoje, passados alguns anos, continuo a ver e a achar o máximo. À medida que o tempo passa são cada vez mais as coincidências entre algumas cenas da série e a própria realidade. Não sei se os guionistas e produtores se fazem valer de algum tipo de previsão do futuro... ou se já viajaram na máquina do tempo e têm usado a série para relatar o que viram... ou ainda se eles fumam coisinhas esquisitas e/ou recreativas e aquilo os faz ter um conhecimento dos acontecimentos um pouco (muito!) mais avançados do que a maioria das pessoas... seja lá o que for... dá que pensar! 
Uhhhhhhhhhhhhh Spooky!

Ver AQUI algumas das vezes em que os Simpsons previram o futuro (agora já passado ou presente...) com muita precisão... 
No mínimo interessante!



 

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Nicoletta Ceccoli

Há alguns anos atrás encantei-me (fiquei vidrada a olhar durante muito tempo) numas imagens, que na altura achei enigmáticas, de umas meninas-mulheres maioritariamente góticas, misteriosas, num misto quase perfeito entre darkness e pureza. De uma inocência corrompida. De sonhos. Mas de uns sonhos rendilhados, detalhados, límbicos, ali algures entre as sensações de medo, aversão, por um lado e de atracção e encantamento, por outro.
Hoje, por acaso abri um site com um artigo sobre distúrbios de sono e a imagem que surgia associada era, inegavelmente, da mesma fonte daquelas outras que eu tinha visto há anos atrás. 
Voltei portanto a recordá-las.

Nicoletta Ceccoli é a autora destas imagens. - Site Oficial.

 Um trabalho peculiar e lindíssimo!









segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Boa semana!



Votos de uma excelente semana a todos! Boas perspectivas... ;)

Beijinhos

Leituras - "Somos todos idiotas"

de Diogo Faro. 2016.


Diogo Faro é um jovem humorista (ou antes um humorista jovem!) português. Tem uma perspectiva muito sarcástica e acutilante da nossa sociedade. Gosta de provocar e de chocar.
Gostei da maior parte das crónicas. Houve algumas que achei demasiado sarcásticas para o meu gosto, mas a verdade é que ele até tem razão na maior parte das coisas que satiriza. E realmente mais vale levá-las com boa disposição do que deprimir-mo-nos com elas.
Adorei as crónicas: "Olha-me aqueles calções curtinhos" e "Paranóia".