domingo, 27 de fevereiro de 2011

X Feira do Queijo Alentejano em Serpa


Serpa - Portugal 2011
Não foi uma grande feira no que respeita à sua dimensão mas queijos e enchidos não faltaram e sempre dá para espairecer e passear um pouco. E além disso compram-se bons produtos a bom preço.
No geral penso que são sempre de louvar este tipo de iniciativas na região. Acontecimentos e eventos que quebrem a pasmaceira que parece abater-se por estas bandas especialmente ao fim-de-semana são uma lufada de ar fresco. E como ainda por cima esteve um tempo maravilhoso, cheio de sol, foi ainda melhor!
O nome da feira é que não precisava ser tão limitativo...."queijo alentejano".... até porque estavam lá também, e muito bem, produtos de outras regiões. Mais, quanto ao artesanato achei que estava fraco.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Porque é que...

... a vida nem sempre nos dá o que queremos? Talvez porque o que queremos nem sempre é o melhor ou o mais certo para nós.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Estrela do mar

Quem me dera ser agora uma estrela do mar. Fechar os olhos e deixar-me levar pelo seu embalo aonde quer que ele me levasse. Nem me importa isso. Importa apenas seguir um rumo, seja ele qual for. Quem me dera poder alcançar sempre que desejasse a harmonia que existe nas notas do piano que toca nesta melodia que vos trago. Esta música é especial. E tem qualquer coisa que me acalma imenso porque fecho os olhos e me sinto transportar para perto da beleza das coisas, seja ela como for. Não importa. Importa apenas que ela lá esteja. E nesta música está.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Vi e gostei!


Não se trata de um filme propriamente recente... é de 2004, mas isso não lhe retira qualquer interesse. Conta a vida do pintor italiano Modigliani (1884-1920), retrata a sua maneira apaixonada (e apaixonante...) de ser, as loucuras, os vícios (drogas e álcool), a pobreza extrema em que viveu em criança e adulto. Fala muito sobre uma suposta disputa entre Modigliani e Picasso... que não era bem uma disputa. Era mais um medo do fracasso, como aliás acho que toda a gente sente quando se trata de comparar o que cada um fez e deixar isso à avaliação dos outros. Ao fim ao cabo podemos concluir que a rivalidade que sentiam um pelo outro ajudou ambos porque lhes aguçou e aperfeiçoou a arte.
O filme aborda também a relação e um amor obssessivo da sua mulher (Jeanne) para com Modi (como lhe chamava). Era uma paixão de tal forma "negra" que quando ele morreu (de Tuberculose agravada pelo alcoolismo e más condições de vida), ela suicidou-se no dia seguinte, estava grávida de 9 meses.
Adorei a personalidade de Modigliani (se é que ele seria mesmo assim)... um pouco louco, explosivo, charmoso (esta parte pode em muito ter a ver com o actor.... Andy Garcia!), inóspito, mas com uma enorme sensibilidade perante as coisas mais mínimas. É engraçado sem ter graça nenhuma que infelizmente estas pessoas ditas "especiais", com uma sensibilidade fora do comum, normalmente são pessoas infelizes e têm um lado negro muito vincado. Talvez porque a sua mente vive atormentada entre dois mundos... É assim que vejo e acho que são os grandes artistas, qualquer que seja a sua área. Por um lado abençoados, por outro amaldiçoados.
"Pintarei os teus olhos quando conhecer a tua alma." diz Modigliani a Jeanne...