sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Bom fim-de-semana


Desejo a todos um bom fim-de-semana.

Que a luz ilumine as nossas cabeças e os nossos corações. Que elimine toda a dor e sofrimento e expulse a escuridão. Que traga com ela a verdade e a serenidade. Que seja a luz a razão da nossa cegueira e nos guie por um caminho sem medos nem perda.
Beijinhos

Sapiosexualidade

Já ouviram falar de Sapiosexualidade? A nossa era é rica em novos termos e novas palavras, aparentemente supérfluas e em quantidade xxl, para designar coisas que sempre existiram mas que simplesmente se encaixavam num outro termo ou palavra mais genérico. Ou talvez não. Talvez a evolução dos tempos leve mesmo à emergência de novos paradigmas e novos conceitos. São duas formas de encarar e duas opiniões muito válidas. Mas que têm um ponto em que não podem discordar. Há de facto novas palavras, que caracterizam situações já existentes ou novas, respectivamente.

Sapiosexualidade é um desses termos relativamente recentes.

Surge como explicação parcial para a atracção entre duas pessoas. Baseada no facto de que a inteligência é uma característica atractiva para algumas pessoas (principalmente mulheres!). Portanto, para além da química e das feronomas, também a mente (?!) actua sobre o cérebro e distingue o que é que é ou não atraente. Atracção física e/ou mental.

"... sentimo-nos atraídos por pessoas mais complexas e misteriosas..." Será?!


Ler sobre isto. Por exemplo aqui. Basta pesquisar na net e há um mundo de páginas sobre o assunto.

E ter sempre presente que atracção pode não incluir amor. Ainda que amor romântico deva sempre incluir atracção.

Na sequência do post anterior... A Cura pela Música.

Eu acredito que a Arte no geral é uma excelente forma de catarse e tratamento das mais diversas patologias. Porque funciona tanto como elo de ligação entre o doente e a realidade como é também forma de expressão daquilo que por vezes parece ser inexpressável e ainda tem efeitos directos, através da vibração e da harmonia de som, sobre a psique e sobre o corpo através de experiência sensorial. Pode acalmar. Pode dar energia... Pode muitas coisas!
A música existe desde sempre, e na minha opinião está dentro de nós. Cada um de nós tem o seu compasso. A sua própria música que toca a cada dia de vida. Cujo ritmo acelera ou desacelera, cujo impacto aumenta ou diminui consoante os acontecimentos. A batida cardíaca vista de um ponto de vista... musical. :)
Eu sempre me senti muito ligada à Música.

" Os  sábios das tradições antigas ensinavam que o ritmo tinha o poder para provocar mudanças no organismo físico, a melodia nos estados mental e emocional, e a harmonia, de melhorar o entendimento humano sobre as questões espirituais.  
Cânticos, mantras, orações, histórias, músicas e a palavra precisam de ritmo, melodia e harmonia para que haja perfeita união do corpo, da mente e do espírito. 
Em quase todas as culturas existe o que chamamos de “A Canção do Absoluto” , ou canto triplo, o  mesmo relaciona-se a três planos do princípio sagrado dos sons. "

Cada vez mais se fala na Cura pela Música. Descobri estas imagens e achei interessantes, associando as notas musicais, os instrumentos e o tipo de música aos chakras e correspondentemente aos orgãos do corpo humano e demais vertentes que constituem um ser.

Ler mais acerca disto aqui. É muito muito interessante!



Um exemplo em forma de inspiração e despertar através da reflexão

Oliver Sacks morreu este ano com 82 anos. Foi um neurologista que em parte veio desmistificar e transformar a perspectiva geral sobre os doentes mentais. Principalmente sobre as pessoas, seres humanos como todos os outros, por detrás da doença mental.

"Em 50 anos de carreira, Oliver Sacks alertou para as necessidades dos pacientes com distúrbios mentais, chamando a atenção para a sua resiliência e humanidade. "Ele não ama em abstracto, mas admira e aprende com cada indivíduo, mesmo se estiver devastado pela doença", constatou a escritora Hilary Mantel, em 2013, no The Guardian. Esta preocupação era notória nos seus "contos clínicos", textos baseados em casos reais. Entre 1970 e 2015, publicou 13 livros e vendeu mais de um milhão de cópias só nos EUA.

Conhecido como "poeta laureado da Medicina", estudou o autismo, a epilepsia e a síndrome de Tourette (caracterizada por múltiplos tiques). E descobriu que a música ajuda na recuperação deste tipo de patologias. 

Despertares, de 1973, sobre um grupo de doentes catatónicos que acordou graças a um medicamento administrado por ele, é um dos seus livros mais populares. A história foi adaptada ao cinema em 1990, com interpretações de Robert De Niro e Robin Williams. Outro dos seus casos célebres, relatado em O Homem que Confundiu a Mulher com um Chapéu, centrava-se num professor de música que interpretava composições, mas confundia a mulher com um chapéu (tinha prosopagnosia, incapacidade de distinguir rostos). (...)", (por Ana Catarina André, Revista Sábado)

Publicações:

Paralisia do sono

"A Paralisia do sono é uma condição caracterizada por uma paralisia temporária do corpo imediatamente após o despertar ou, com menos frequência, imediatamente antes de adormecer.
A paralisia do sono em si mesma acontece a todas as pessoas sempre que dormem. O distúrbio começa quando a pessoa acorda e a paralisia do sono ainda está ativa. Essa é a condição estudada pela medicina do sono.
Fisiologicamente, ela é diretamente relacionada à paralisia que ocorre como uma parte natural do sono REM, a qual é conhecida como atonia REM. A paralisia do sono ocorre quando o cérebro acorda de um estado REM, mas a paralisia corporal persiste. Isto deixa a pessoa temporariamente incapaz de se mover. Além disso, o estado pode ser acompanhado por alucinações hipnagógicas.
Com frequência, a paralisia do sono é vista pela pessoa como nada mais do que um sonho. Isto explica muitos relatos de sonhos nos quais as pessoas se veem deitadas na cama e incapazes de se mover.

Possíveis causas:
 - indução consciente da paralisia (que também é uma técnica comum para entrar num estado de sonho lúcido ou projeção da consciência);
- agenda de sono irregular (cochilos e/ou privação do sono);
- stress elevado;
- mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém;
- um sonho lúcido que imediatamente precede o episódio;
- sono induzido através de medicamentos como anti-histaminas;
- nível elevado de cansaço."



Já alguma vez experienciaram isto? Eu já, e é completamente assustador.

Na altura em que isto me aconteceu, e foram várias vezes seguidas, nem sequer conhecia o termo "paralisia do sono". Acordava a meio da noite, assustada, umas vezes conseguia sentar-me na cama mas não conseguia mexer as pernas, e de outras vezes simplesmente sentia-me acordada, desperta, a querer mexer-me e a não conseguir. Como se todos os meus membros estivessem imobilizados por uma imensa força de gravidade e não respondessem à minha vontade de movimento. Mas a minha consciência estava completamente clara e lúcida. É aterrador. Também não conseguia falar. Queria gritar mas não podia. Talvez tenha chorado. Não sei bem. Ainda hoje não sei se estava a sonhar que estava acordada ou se de facto estava acordada mas algures entre o sonho e a realidade, num momento em que corpo e mente estavam claramente separados. É uma experiência tanto transcendente como aterradora.
Falei com algumas pessoas e todas elas me disseram que tinham sido sonhos. Até que uma amiga sorriu quando lhe contei isto, e me respondeu que já lhe tinha acontecido, e que tinha sentido o mesmo que eu. Falou-me então em paralisia do sono e também numa ou outra explicação mais esotérica e mística... que envolvia espíritos e coisas do género. Mas disse-me para não ter medo, que eu estava a ser utilizada como canal, e para evitar deitar-me de barriga para cima porque, assim se diz, é uma posição que nos torna vulneráveis. Assim fiz. Não sei se foi efeito placebo ou não, mas não voltou a acontecer. Ainda assim, tenho consciência que não se trata de uma situação para ter medo. E portanto é uma questão de auto-controle. (Difícil, por sinal!)

A crise e as "ajudas" financeiras

Ora aqui está uma perspectiva fundamentada e interessantíssima sobre a crise do euro (e de valores em geral...) criada com base na especulação financeira e dependência bancária, quem são os decisores e quem são os (pseudo)devedores, e para quem afinal de contas reverte a receita que tem por base o juro que está a ser cobrado aos empréstimos injustamente apelidados de "ajuda" financeira:

Conjugando...

Considero que falar e escrever bem é condição sine qua non de sermos bem interpretados, e por conseguinte conseguirmos ser bem sucedidos na comunicação das nossas ideias e pensamentos. Escrever e falar parece ser uma coisa corriqueira, um dado adquirido, sem demasiada importância, mas é na nossa escrita e na forma como falamos que muito dizemos sobre nós. Sobre quem somos, de onde viémos, o nosso nível cultural, quão bem nos expressamos. 
Errar toda a gente erra, como é óbvio. Mas infelizmente assisto que nas gerações mais novas o nível de erro e desleixo é cada vez maior. É uma coisa que me causa alguma impressão. Porque essa "incapacidade" vai acompanhar essas pessoas para toda a vida, e, se é verdade que não vão morrer por causa disso, irão com certeza fazer má figura em muitas situações das suas vidas e quem sabe perder boas oportunidades (de estarem calados!).

Aqui fica uma dica sobre como conjugar correctamente os verbos - aqui.

domingo, 25 de outubro de 2015

Sou suspeita mas... isto é beleza pura!


A minha Xaninha está ou não uma autêntica GATA?!!? Em todos os sentidos da palavra!

É uma gatinha muito fofa. Muito dócil. Tanto ágil e caçadora como ronron-nheira. É um amor! Um amor muito grande! :)

Boa semana!


A semana que passou foi dura. Não falo por mim em especial ainda que tenha sido uma semana muito atarefada e portanto um tanto ou quanto cansativa, mas isso não é nada e talvez seja até um excelente sinal... andarmos cansados por termos muita coisa para fazer, muita gente com quem conversar, planos para fazer, enfim... termos vida e saúde para isso!! É uma dádiva! 
Nem sempre damos valor a isso. Por vezes certos murros no estômago fazem-nos acordar, mesmo que por momentos. Foi o caso da semana que passou. Três notícias muito duras, cruéis e tristes. O suicídio de uma pessoa conhecida, a notícia de uma outra pessoa conhecida, ainda jovem, ter simplesmente descoberto que tem um cancro no pâncreas, já com metástases no fígado e rins e cujo oncologista referiu que neste caso já não consegue fazer nada e que apenas resta esperar... alguns meses de vida. E ainda a morte do cão de uma colega cuja família o tinha mesmo como o melhor amigo (eu tenho animais portanto sei muito bem o que isso é. O amor que sentimos por eles não é menor do que o amor que sentimos por pessoas que amemos. É amor e ponto final!).  Horrível. Horrível. Horrível. É só isto que por vezes a vida me parece. Extremamente injusta para quem como eu, aqui deste lado e na nossa humilde e inferior posição, não percebe porquê... embora internamente algo me sossegue e me diga que só nos resta aceitar porque tudo na vida tem um propósito e nós não controlamos nada ou controlamos muito, muito pouco. Quero acreditar muito que sim....

Tenham um boa semana.

Beijinhos

A ouvir... e a gostar muito!

Jamie Lawson - Wasn't Expecting That

Adele - Hello

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Surrealidades do meu dia-a-dia #34

Às vezes... no rotineiro e aparentemente simples decorrer dos meus dias, em conversas, situações ou reflexões banais, tenho aquilo que considero serem pensamentos tanto altamente filosóficos quanto improváveis, e portanto ensinamentos ultra-importantes, precisamente para uma melhor gestão do meu dia-a-dia e para as decisões de que cada um desses dias se constrói afinal. (Sim... o dia não se mede em tempo mas sim em decisões tomadas...
E assim, sem mais nem menos, em vislumbres fugazes acedo a uma torrente de claridade de discernimento.

"Apercebi-me que quanto menos penso nas coisas, mais rapidamente elas se resolvem, e sozinhas!"

E não é que é mesmo assim?! :) A resolução rápida e eficaz das "minhas coisas" é inversamente proporcional à quantidade de tempo que penso sobre elas a tentar arranjar soluções que sempre se revelam estúpidas e cansativas. Portanto... deixar fluir as coisas na vida é a atitude mais sábia, saudável e mais feliz! Em tudo!

(Atenção... não devemos deixar de pensar e reflectir sobre as coisas! Devemos isso sim obrigar a nossa mente a não fazer uso daquela coisa nefasta e tóxica a que vulgarmente chamam de.... preocupação!)

Fica a dica! ;)

domingo, 18 de outubro de 2015

Boa semana


O sacana do fim-de-semana passa depressa... demasiado depressa! F%CK$&#G SH%T!!

Boa semana!

Coisas boas da internet - Escrita Científica

Para quem faz ou precisa fazer pesquisa e investigação científica e pretende submeter artigos e papers para as revistas conceituadas da sua área aqui fica uma dica muito útil. Curso online, gratuito (normalmente são pagos...), sobre "Escrita Científica". Foi desenvolvido pela Universidade de São Paulo, no Brasil. Eu vi e gostei muito. Acho que está muito acessível e claro. É de facto super útil.

O contexto e cursos online disponíveis (há também para monografia, teses de mestrado e doutoramento) - aqui e aqui.

O curso de Escrita Científica - aqui. (são 8 módulos em formato vídeo)

Os vídeos têm pouca nitidez e são minuciosos... mas algo tinha de compensar o facto de serem gratuitos certo!?!? :)

É a vida... não se pode ter tudo! ;)

(este outro vídeo e mais este também achei bons)

Portugal é de facto um país riquíssimo em beleza e particularidades...

Aldeias de Portugal - quero visitar todas estas!!! Principalmente Piodão, no concelho de Arganil. Já há anos que penso nisso e ainda não se proporcionou. Espero ser em breve!

Aldeias de Portugal

Lindíssimos locais. Lindíssimas imagens e paisagens. Excelente dica!

sábado, 17 de outubro de 2015

Bom fim-de-semana


É bom planear. Mas não muito. Porque por mais que tentemos controlar tudo e mais alguma coisa... há sempre qualquer outra coisa que nos vai escapar e trocar as voltas, só para nos mostrar e relembrar que a gente aqui é só a personagem. A peça de teatro já está escrita!

Bom fim-de-semana.

Beijinhos

A ouvir...

Fernando Pardal e António Zambujo - Un Hombre

Fernando Pardal - Meu Amor do Limbo
Pearl Jam - Black

e.... também...

Sromae- Papaoutai (French & English Lyrics)

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

"Pára-me de repente o pensamento"

"Pára-me de repente o pensamento
Como que de repente refreado
Na doida correria em que levado
Ia em busca da paz, do esquecimento...

Pára surpreso, escrutador, atento,
Como pára um cavalo alucinado
Ante um abismo súbito rasgado...
Pára e fica e demora-se um momento.

Pára e fica na doida correria...
Pára à beira do abismo e se demora
E mergulha na noite escura e fria

Um olhar de aço que essa noite explora...
Mas a espora da dor seu flanco estria
E ele galga e prossegue sob a espora."

Ângelo de Lima, in 'Antologia Poética'


O documentário português do realizador Jorge Pelicano, de título "Pára-me de repente o Pensamento" Site oficial - aqui), consiste na apresentação cinematográfica transgressiva da estada do actor Miguel Borges no Centro Hospitalar Conde de Ferreira (CHCF) - um Hospital Psiquiátrico -, no Porto, e mostra, de uma forma muito natural e crua, a vida e forma de ser e estar de alguns dos residentes/pacientes do CHCF. Doentes mentais, maioritariamente casos de esquizofrenia, que, no âmbito de uma peça de teatro, recebem um novo "inquilino" na sua casa. (Sim, na sua casa. Porque, não obstante os que não gostam de lá estar, aquele sítio é de facto a casa de muitos deles, que vivem lá há dezenas de anos.) A peça de teatro aborda, entre outras coisas, a vida/obra de um artista que foi "inquilino" da casa... o poeta/pintor Ângelo de Lima, cuja personagem irá ser encarnada pelo actor Miguel Borges. 
É um documentário excelente. Sem filtros. Com silêncios indutores de reflexão e algumas gargalhadas no meio do aparente caos que a loucura (também ela aparente...) pode ser.
Recomendo. Muito.

Gostei do Alberto. Do Torres. E do Abreu. Alguns dos residentes...
E, para além da representação efectiva, adorei a postura e o olhar do actor Miguel Borges para com os pacientes com quem interagiu e partilhou espaços. Uma maneira de estar muito serena, de estar perante a loucura e tentar compreendê-la, senti-la e aceitá-la. Muitíssimo interessante.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

A lição de Marketing mais rápida e eficaz da História!

Já ouviram falar em Marketing? Não? Sim? Ouviram mas não sabem o que é? Pensam que tem a ver com publicidade mas não têm a certeza?!

Ora aqui está uma das formas mais claras e directas que já vi de se explicar esta forma de comunicação da oferta para a procura num ambiente de mercado competitivo:


Muito bom! Isto devia dar direito a certificado de habilitações!!! :D

Surrealidades do meu dia-a-dia #33

Isto das surrealidades ou coisas inesperadas ou caricatas que nos aconteçam no dia-a-dia tem muito a ver com a nossa forma de estar e consequentemente com a nossa forma de ver as coisas. Eu reparo muito em pequenas coisas. Sempre achei que os pormenores são o grande veículo da verdade e da realidade. Às vezes esses pormenores podem ser coisas estapafúrdias, mas não quero saber disso, apenas quero saber que me disseram algo!

Estava eu hoje muito bem a caminhar e reparo num camião TIR, daqueles enoooooooormes mesmo, parado perto de onde eu estava a passar. Encostado a esse colosso estava o seu (magnificiente e grande) condutor! O camionista portanto! Daqueles homens fortões, com ar de quem passa pelas maiores provações e cansaço, e também de quem não deixa cá assuntos pendentes com ninguém. Pronto... o senhor tinha um ar assim meio "abrutalhado"... desculpem lá os camionistas em geral mas este foi assim que o vi!!!
Ora estava eu a apreciar a criatura e o seu jeito rude, imaginando a vida dura que aquele homem deve ter, e reparo que ele estava encostado de pé ao camião, muito quietinho. Mas não estava a falar ao telemóvel ou algo parecido. Achei aquilo estranho. Estava a choviscar e aquele homem estava ali parado... a pensar na vida!?!?! Quando me aproximei.... constatei que o senhor estava.... sim achei isto caricato... ele estava ali na sua pausa, muito descansadinho a.... beber... um leitinho com chocolate!!! LOLOLOLOLOLOLOL SIM! Um homenzarrão a segurar um minúsculo pacote de leite com chocolate. E estava ali muito concentrado, com as duas mãos a segurar o pacote de leite com muito cuidadinho, a sorver aquilo que já devia ser o final do dito cujo. Achei aquela cena inusitada, e até algo carinhosa (wtf??!).... surreal! Achei querido, sei lá! ohhhhhhhhhhh E ri-me. Porque efectivamente não estava à espera daquilo!!! :D 

E pronto.... camionistas de Portugal e do mundo em geral: desvendou-se o segredo e acabou-se o tabu! Façam lá favor de beber os vossos leitinhos com chocolate à vontade e sem vergonhas e mostrem às outras pessoas que o estereótipo do camionista que "emborca" médias e "enfarda" refeições de fazer "cagulo"... já era! 

Apeteceu-me gritar: "AH GANDA HOMEM!!!"

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Super-poderes...?!

Há histórias (comprovadas) de indivíduos que conseguem fazer coisas... diferentes. Paranormais se assim lhe quiserem chamar. Seja através da meditação, da sobre-elevação do espírito, seja porque têm "distúrbios" neurológicos como o autismo, entre outros. Seja por que razão for. Estas pessoas parecem ter super-poderes! Há pessoas que conseguem visualizar sítios onde não estão, mover e teletransportar objectos com a mente (psicocinese), fazer cálculos matemáticos complexos que usualmente só são feitos por computador, fazer descer ou subir a temperatura corporal bem como acelerar ou abrandar o metabolismo (!!!), descrever e respresentar promenorizadamente imagens visualizadas em segundos...

Vejam aqui. Alguns destes casos, com nomes, identidades e respectivas histórias.

"Whether they are savants who can paint a masterpiece blindfolded in seconds, geniuses who can calculate numbers only a computer could, or regular people who can remember every single detail of their lives down to the date and time, humans with special abilities seem to be abundant in society. But special abilities go far beyond what many savants are doing today, and science has been studying these abilities for decades, despite the fact that the results are not always emphasized by mainstream academia. Below are a few of many examples that will make you stop and question what you think you know."

Muuuuuito interessante!

E na hora da banhoca... é dos... que elas (e eles) gostam mais, mais, mais...

Preferem duche de água mais para o fria ou mais para o quente? Ou não preferem duche e ponto final? (Ahhhhhhhhhhhhh Sua cambada de porquinhos :) )

Eu depende. Não quanto ao duche mas quanto à temperatura da água... lol... Mas por norma gosto de água quentinha.... quase a escaldar vá...!!! eheheeheheheheh No entanto também tenho dias em que me simplesmente me apetece tomar banho de água fria (raros dias confesso, mas acontecem!). Será que escolhemos insconscientemente a temperatura da água consoante aquilo que o nosso corpo e espírito precisam ou isso é mera... parvoíce?! Who knows right?!

Uma coisa é certa. Seja com água fria seja quente, é na hora da banhoca que eu aproveito para programar coisas, pensar e reflectir sobre outras, sonhar, imaginar, e sim... às vezes cantar! :) Yeah!!! É portanto uma ocasião muito produtiva. :)

sábado, 10 de outubro de 2015

Bom fim-de-semana!


Yup! 
Parece que o Verão já se foi mesmo... agora toca a sintonizar o modo "mangas compridas"!!

Bom fim-de-semana!

Beijinhos

Acerca do Amor


E falando/pensando nisso... 
O amor é ,ou pode ser/tornar-se, um processo mental? Talvez não passe afinal disso, tão somente e apenas... Em que nós, conscientemente, decidimos por que caminho enveredar. E portanto é algo (susceptivelmente) controlável? Que limitamos e definimos a nosso bel-prazer.

Ou não?
É, como se diz, inexplicável e incontrolável? Rebelde e desobediente? Avassalador e imponente? Não permite dúvidas nem planeamentos?

Há vários tipos de amor. E a cada tipo, uma definição. Mas na sua essência penso que essa coisa a que vulgarmente se chama "amor" é... 

(cada um que encontre o seu sentido e a sua razão)

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Sevilha... Sevilla... Seville

Sevilha tem de facto "un color especial" tal como diz a música que tanto a caracteriza. É uma cidade andaluza, quarta maior cidade espanhola, cheia de vida e movimento. Gostei imenso da cidade e da sua energia. É uma cidade muito viva e movimentada. À chegada fomos "desembocar" por acaso na Praça de Santa Ana, onde almoçámos a melhor refeição da estada :) Foi um óptimo começo!

Os únicos senãos da cidade acho que foram mesmo só a poluição (a cidade tem imenso trânsito - chega a ser caótico, stressante e extremamente cansativo - e o ar está saturado de CO2), o ser praticamente impossível encontrar lugares de estacionamento não pagos (as ruas estão cheias de carros e mais carros, não há um espacinho sequer!) em que a melhor opção é comprar pacotes diários nos parques disponíveis, e outro aspecto menos positivo é que em alguns estabelecimentos os comerciantes são um bocadinho antipáticos. De resto, gostei de tudo! Mesmo a nível de preços não há grande diferença face a Portugal.

Sevilha tem imensas coisas para ver e fazer. Restaurantes óptimos (eu adorei a comida! Muito tomate, pimento, muito presunto e misturas improváveis. Gostei muito!!), passeios e visitas guiadas, imensos museus e outras atractividades culturais, música ao vivo em cada esquina, e... um pulsar vivo e contínuo que se sente no ambiente. ;)

Em termos de visita ao património histórico e cultural, há muitos monumentos e sítios que vale a pena conhecer (adorei o Bairro Judeu, a Praça de Espanha, o Museu Histórico Militar, a Catedral, a Torre do Ouro, etc etc) . Até mesmo caminhar junto às margens do rio Guadalquivir é bom. 

Podem espreitar a minha perspectiva fotográfica geral da cidade -
http://deumlado-outrolado-fotos.blogspot.pt/2015/10/sevilha-espanha-seville-spain.html;

Algumas fotos:
 "Desayuno Tradicional" como lhe chamam. O pequeno-almoço tradicional. Adorei! Adorei!.... E adorei!

Salmorejo - um gaspacho mais espesso, com pedacinhos de ovo cozido e presunto. Acompanhado de pão frito.

 Uma vista da Catedral, vindos do Palácio de Alcazar.

Igreja de Santa Ana, Praça de Santa Ana.

Uma perspectiva de um cocheiro (há imensos para os turistas passearem pela cidade).

Rio Guadalquivir. Torre do Ouro.
A belíssima e imponente Praça de Espanha.

Uma outra dica  que vos queria dar é que não deixem de visitar o Museu da Ciência (Casa de la ciencia). Tem exposições que adorei. Divertidas e interactivas. Uma delas é sobre a Memória (o que somos nós sem memória certo?! Talvez não sejamos nós!) e a outra é sobre.... tantantantan.... cocó! Sim, sobre excrementos! É a conhecida exposição sobre cocó e dejectos. Os mitos, os pudores... todos jogados ao chão pela ciência e pelo humor! Achei esta exposição o máximo! Hilariante. Super lúdica e interessante.
Como era permitido fotografar, tentei registar algumas partes para partilhar aqui e dar a conhecer a quem não tiver oportunidade de visitar.



Deêm uma espreitadela e confirmem o que referi. :) ;)

Boa viagem. :)

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Autenticidade

Apercebi-me que a coisa que mais valorizo e que me faz atribuir mais-valias ao que, e a quem, me rodeia é algo tão simples (e difícil) quanto a AUTENTICIDADE. Gosto de sentir coisas e pessoas autênticas. Gosto de sítios, de músicas, de roupas, de momentos e situações autênticos. Não me interessa que sejam bons nem que sejam maus. Nem que sejam muitos ou poucos. Nem ainda que sejam rápidos ou lentos. Apenas me interessa que sejam autênticos. 
Tudo o resto é ruído. 
Dispensável, dispersável e desprezível.

Eu sou AUTÊNTICA.... o mais possível. E tu? ;)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Falou... e disse!

Em conversa, uma querida, muito querida, amiga disse:


"O amor constrói-se. Nem sempre é uma paixão ardente, tem momentos de grande nulidade e desespero, mas é construído em bases sólidas de confiança, cumplicidade e companheirismo... (...)"

E fiquei a pensar que sim. Tem toda a razão! Não diria melhor! ;) :)

Milagres?!

"Mi-la-gre
Substantivo masculino. Facto sobrenatural oposto às leis da natureza. Maravilha. Coisa extraórdinária."

Eu acrescentaria... "Coisa bizarra". 
E alteraria para "Facto sobrenatural oposto às leis que pensamos conhecer da natureza."

Quem somos nós para afirmar o que são as leis na natureza? Quem somos nós para atestar a miraculosidade de algo ou de um acontecimento?
Precisamente... são milagres todas as coisas que não conseguimos explicar e que, num bom sentido, simplesmente fogem daquilo que consideramos normal. Mas tal facto não significa que na realidade sejam assim tão difíceis de explicar e/ou que sejam anormais. A nossa limitação é que nos leva a ver as coisas dessa forma...

Ver e pensar sobre os 10 milgares apresentados aqui: http://listverse.com/2008/07/14/top-10-astonishing-miracles/
miraculum, -i, maravilha, coisa extraordinária, milagre)

"milagre", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/milagre [consultado em 01-10-2015].