quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

World Press Photo 2015

Para quem, como eu, gosta de ver as fotografias premiadas no WPP. Olhar para elas. Perceber do que falam e o que nos dizem. Sobre os mais variados temas... recorrentemente (e infelizmente!) sobre guerra, violência, morte, desespero...

Aqui fica o link através da notícia no Jornal Público:

https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/uma-fotografia-assombrosa-e-mais-um-portugues-premiado-no-world-press-photo-2015-1723691

"Hope for a New Life", Fotografia do Ano Warren Richardson

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Gosto muito!!

Passei de indiferente a gostar imenso de Justin Bieber! E adoro esta música... e assim ao vivo tem uma energia linda!

Justin Bieber - 'Love Yourself' (Jingle Bell Ball 2015)

São Tomé e Príncipe (STP)

Daquilo que vi (ficou muito por conhecer!) e pude experienciar STP é um país lindíssimo, quente, leve-leve, onde as pessoas são muito simpáticas e humildes. Ainda muito ligado a Portugal e aos assuntos portugueses. A comida é muito boa. As frutas são excelentes. As paisagens naturais são de cortar a respiração. O verde intenso da vegetação é extasiante. A selva é enigmática, ora nos assusta ora nos puxa para ela.
O outro lado... é o choque que inevitavelmente um europeu sente ao chegar a um país destes. As infra-estruturas são muito básicas e as que existem estão a precisar de manutenção urgente. De repente parece que recuamos dezenas de anos no tempo. Tudo é mais arcaico e (muito) pouco desenvolvido. Degradação e ruína passa a ser um cenário comum e alarmante. Acho que desde a Independência as antigas e grandes estruturas têm estado votadas ao completo abandono. Mas já se percebe no ar uma vontade em alterar esse rumo, de investir no país e de tomar as rédeas da situação.
Se por um lado isto nos pode chocar e sensibilizar, por outro também nos induz numa perspectiva diferente das coisas e do modo de vida. Ter muitas coisas não é decididamente condição estritamente necessária nem suficiente para ser-se alegre e feliz! E este povo... é alegre e feliz! Gostei muito! 
Não fui ao Principe... fica para a próxima! ;)
















quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Provérbio africano

"Enquanto o leão não tiver o seu próprio historiador, a glória continuará a ir para o caçador."

Será?!

Estive recentemente em África, numa ex-colónia portuguesa. Não senti que exista uma raiva ou mágoa explícita do povo colonizado para com o país colonizador, neste caso Portugal e os portugueses. Isso pode ter-se sim ouvido uma ou outra vez, mas no geral senti que eles ainda estão muito ligados a Portugal (quase umbilicalmente), aos assuntos portugueses e ao modus operandi português. Nos cafés os homens discutem política e as eleições presidenciais em Portugal, vibram com o Benfica, Sporting e o Porto... Ainda muita coisa gira em torno de Portugal. Talvez por hábito, ou por dificuldade em criar uma cultura nova em tão pouco tempo. Creio que à medida que os anos vão passando, e os edíficios e antigas estruturas dos agentes colonizadores estão à mercê do tempo, numa degradação que chega a ser quase chocante à vista, e o povo não conseguiu ainda "dar a volta" e gerir-se a si próprio (ainda não conseguiu arranjar o seu próprio historiador....), há alguns autóctones que já começam a ter a "coragem" de ponderar se a Independência não terá sido a pior coisa que lhes podia ter acontecido. Esta matéria terá por certo muitos pontos de vista e devidos argumentos... A escravatura é obviamente a parte obscura da História. Mas faz parte integrante dela e portanto não se pode simplesmente esquecer. Mas fora essa parte, talvez não fosse má ideia os portugueses terem continuado a gerir o país, quem sabe numa parceria saudável com a população. Foi o que senti.