sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

Faço meus ou eles (gato Malandro e Pai Natal) fazem dos meus... enfim não interessa... os nossos votos de um Feliz Natal e Próspero Ano Novo para todos!! Dica para o próximo ano: se ainda não têm animal de estimação experimentem adoptar um e serão surpreendidos com a enorme quantidade de afecto que ele vos pode dar. Tratem-nos como gostariam que vos tratassem a vocês (isto aplica-se não apenas a animais de estimação mas a todos os que vos rodeiam), não deixando de os educar e ensinar qualquer coisita... e no retorno ganham um amigo que sempre vos acompanhará e nunca vos exigirá nada em troca. Puro amor!

História de Amorrrrr

Começaram por disfarçar, ignorar...fingir que nenhum dos dois se importava um com o outro...era cada um para seu lado...
... Mas rapidamente passaram para a fase do conhecimento através do toque, do cheiro... dos abraços envolventes e prolongados...
Depois foi apanhá-los em cenas pouco ingénuas de mordidelas de amorrrrr....
E pronto...nos tempos de hoje não se espera muito... Não tardou a acontecer!... cenas escaldantes....
... de tão quentinhos que eles dormiam os dois, bem juntinhos e agarradinhos!!!! :D:D Não interessa entre quem e o quê... interessa sim cultivar o amor em nosso redor. Respeitarmo-nos e aceitarmo-nos, sem olhar a cores, ideologias, objectivos, religião, sexo, e etecetera e tal!!! Just Be Happy! ( please...) :)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Este rapaz não é normal

Este (ele sabe quem!) rapaz não é normal... :)

esta é a frase que não me sai da cabeça, juntamente com uma boa-disposição e uma vontade de rir que, dadas certas circunstâncias (que tanto ele como eu sabemos!), não é.... simplesmente normal! Passo a explicar. Tomámos a decisão. Aquilo que achamos melhor, aquilo que tem de ser feito, tanto faz, tomámos-la (não...não é tomásia, isso é nome de gente e gente outra que não eu e o tal rapaz não são para aqui chamados!). Uma decisão difícil, daquelas que fazem os senhores que vendem lenços de papel ganharem muuuito dinheirinho...e enfim... Eis se não quando o outro assinante deste triste (des)contrato que vos estava aqui a falar me acaba de proporcionar uma gargalhada daquelas e um súbito sentimento de certeza de que na vida não há razão para levar as coisas a sério. Adoro-te. E sempre te agradecerei por me ensinares a rir em todos os momentos da vida, mesmo quando achamos que é impossível que isso aconteça. Nada é então impossível. E é uma estupidez não viver de acordo com a leveza que a vida afinal é. É uma estupidez não apreciar cada momento. Isso é estúpido!! (como tu dirias...)...
A vida junta, a vida separa. A vida reúne, a vida afasta... A vida justifica tudo quanto aconteça. E acontece precisamente tudo aquilo que quisermos e deixarmos que aconteça, quando tiver de acontecer. Se seguirmos aquilo que achamos correcto e melhor para nós e para os que muito gostamos, então só podemos estar no bom caminho. Devemos seguir com confiança e com um sorriso nos lábios.
LU.
Always will.

domingo, 4 de dezembro de 2011

E o gato Malandro... já está assim!


Passados cerca de 6 meses Sua Excelência o Gato Malandro já está deste tamanho, continua muito curioso, mal me vê abrir uma gaveta ou armário atira-se logo lá para dentro, segue-me o tempo todo de tal forma juntinho às pernas que muitas vezes dou-lhe pisadelas porque simplesmente não o vejo (!!), já sobe para cima das coisas sem grandes medos, adora ver água mas senti-la no pêlo "ta quieto", gosta de morder sem força e atirar-se para cima de nós só para brincar, mal me apanha sentada vem logo para o meu colo aninhar-se, de manhã bem cedo mia como se não houvesse amanhã a chamar por mim, gosta de brincar ao toca e foge..., e pronto.... às vezes também leva no focinhito quando faz marotices a mais :). Fora isso é uma grande companhia num pequeno corpo, já faz parte da minha casa e esta não tem sentido sem ele. Outro dia sonhei que o tinha perdido, não sabia dele nem onde procurá-lo. Acordei assustada... percebi que já me apeguei a esta criatura de tal forma que sinto medo de perdê-lo. Assim como sinto medo de perder tantas outras coisas que tanto gosto. Acerca dessas outras coisas, tomo por vezes decisões que provocam esse tão temido afastamento, mas essas decisões, que acarretam um risco elevado, são conscientes e visam um melhoramento e um assegurar que o que é especial tem de ser mantido assim. Não deve deixar-se exposto ao desgaste nem ao seu esmorecimento. Por isso se tratam de decisões de grande risco... porque comportam em si um grande investimento.

miau, diz o malandro! ;)